O XXI congresso nacional do PCP, de 27 a 29 de novembro, em Loures, vai ter metade dos delegados, cerca de 600, comparativamente à reunião de 2016, devido à pandemia, disse esta quarta-feira à Lusa fonte partidária.

Numa resposta a perguntas da agência Lusa, o gabinete de imprensa dos comunistas afirmou que o congresso, “atendendo às circunstâncias, terá uma participação de delegados menor (cerca de 50%), sem presença de convidados nacionais e estrangeiros”.

O PCP garantiu ainda condições de “proteção sanitária” para todos os participantes.

“O XXI Congresso realizar-se-á com a efetiva garantia de todas as medidas de proteção sanitária provando, como a Festa do Avante o fez, que é possível manter a atividade política e o exercício dos direitos consagrados constitucionalmente com as condições de prevenção e segurança no plano da saúde”, lê-se ainda na resposta dada à Lusa.

No anterior congresso, em Almada, há quatro anos, participaram cerca de 1.200 delegados.