A campanha presidencial de Donald Trump está a pedir aos seus apoiantes donativos para lutar em tribunal contra o “roubo” que dizem ter acontecido nas eleições nos EUA. Mas a Reuters sublinha que nas “letrinhas pequenas” da linguagem legal se estabelece que só donativos acima de 8 mil dólares é que serão canalizados para suportar eventuais custos jurídicos e advogados. Nos donativos individuais abaixo desse valor, os valores podem ser usados para outros fins, porque vão para o partido republicano e para o “Save America”, um fundo criado na segunda-feira e cujos recursos podem ser usados livremente.

Como explica a Reuters, este tipo de fundos – um “political action committee“, ou PAC – é frequentemente criado por figuras políticas ou mediáticas para apoiar candidaturas de outras pessoas a cargos públicos. Mas são veículos usados, também, para pagar despesas pessoais como viagens ou estadias em hotéis. E isso é algo que preocupa um antigo diretor do Comité Nacional Republicano, Michael DuHaime, que defendeu que “é importante ser franco com as pessoas – especialmente com aquelas que estão a procurar nos bolsos pelo menos 25 dólares para contribuir. Se lhes dizemos que o dinheiro é para ir para custos jurídicos, então tem se ir para custos jurídicos”.

Um dos fins alternativos para o dinheiro, acrescenta a Reuters, seria, por hipótese, usar os recursos recolhidos para apostar na dupla-corrida para o Senado pelo estado da Geórgia, que poderá determinar quem estará em maioria nessa câmara alta do Congresso norte-americano – e que se prevê ser um esforço que implicará grandes investimentos tanto por parte de democratas como republicanos.

No site da iniciativa “Official Election Defense Fund” é dada a garantia de que os donativos serão para “proteger os resultados e continuar a lutar, mesmo depois do Dia da Eleição”. Mas a realidade é que se alguém fizer um donativo inferior a 8.000 dólares esse dinheiro não vai para pagar recontagens de votos ou para tentar provar as acusações de fraude que foram feitas – 60% do dinheiro irá para o “Save America” e os outros 40% vão para o Comité Nacional Republicano.

Portanto, segundo a Reuters, para que entre um dólar no fundo para pagar recontagens de votos têm de já ter entrado 5.000 dólares no “Save America” e cerca de 3.300 dólares no Comité Nacional Republicano (RNC). Por exemplo, se alguém doar 500 dólares, 300 vão para o “Save America” e 200 vão para o RNC – para o esforço de combate ao resultado das eleições, nesse caso, vai zero.

Nem todos os republicanos veem um problema aqui, porém: Darrell Scott, um pastor de Ohio que esteve na equipa de transição de Trump em 2016, diz à Reuters que “isto é como falar em dois bolsos do mesmo par de calças. Não importa se o dinheiro vai para o bolso do lado esquerdo ou para o lado direito – no final, o dinheiro será utilizado em propósitos legítimos que irão receber o apoio de todos”.

O que acontece se Trump não reconhecer a vitória de Biden? Os prazos, as manobras mediáticas e os riscos para os EUA