O artista Mário Belém inaugura na sexta-feira, na galeria Underdogs, em Lisboa, “That Awkward Moment Between Birth and Death”, exposição composta inteiramente por trabalhos novos.

“That Awkward Moment Between Birth and Death” (“Aquele Estranho Momento Entre o Nascimento e a Morte”, em português) deveria ter sido inaugurada no final de março. A pandemia da covid-19 acabou por adiar a exposição, mas o conceito que lhe serviu de base manteve-se.

“Uma das coisas que perguntava era por que é que não parávamos mais tempo para pensarmos sobre nós próprios, e de repente somos obrigados a ficar dois meses em casa sozinhos e com uma data de tempo para pensarmos nas nossas próprias coisas”, contou Mário Belém, em declarações à Lusa.

Ou seja, o conceito da exposição manteve-se, “mas deu um bocado a volta à conversa, porque demos conta que é de facto possível parar para pensar”.

Mário Belém, que trabalhou vários anos como ilustrador digital e designer gráfico, transpõe as suas reflexões para peças recortadas em madeira, com camadas, que depois pinta.

Nesta exposição quis fazer como que as peças “pudessem saltar da parede para fora” e tentou “brincar com isso de várias formas”.

“Outra das premissas iniciais foi fazer peças muito brancas, numa parede branca, para depois ganharem tridimensionalidade através das sombras, mas também quando olhares para a peça ser como aquelas ideias que estão quase a ocorrer mas não consegues chegar lá ou aquela memória que estás a tentar recordar, mas não consegues recordar muito bem”, explicou.

Em março, já tinha prontas todas as peças agora expostas, mas a passagem do tempo acabou por levá-lo a alterar uma delas, a maior de todas e que foi batizada com o título da exposição.

“Inicialmente tinha imaginado que era super conceptual, com o fundo branco, e passado quatro meses a olhar para ela achei que estava a precisar de muito mais confusão e acabei por lhe acrescentar muito mais camadas, o que beneficiou imenso a peça”, contou.

Além desta alteração, Mário Belém aumentou o número de peças do conjunto “Bagagem Emocional”.

Em “That Awkward Moment Between Birth and Death” há peças que falam “sobre como as pessoas se fecham” e há uma série “com cabeças de animais, como se fossem troféus de caça, que questiona como seria se [nas redes sociais] as pessoas demonstrassem os seus defeitos em vez das suas virtudes”.

Simultaneamente, na Underdogs estará também patente a exposição cápsula “Wild Fire”, da dupla de artistas Ana + Betânia.

A partir deste ano, os artistas que apresentam coleções cápsula na galeria são escolhidos pelos artistas da exposição principal. Ou seja, Ana + Betânia foi uma escolha de Mário Belém, que já segue o trabalho da dupla “há uns anos”.

Embora tenham “temas independentes”, com “cada um a trabalhar na sua direção”, e trabalhem materiais diferentes –Ana +Betânia criam esculturas em cerâmica -, segundo Mário Belém o resultado das duas exposições “torna-se harmonioso”.

“Foi uma ótima escolha e a exposição delas está brilhante”, disse.

“That Awkward Moment Between Birth and Death” e “Wild Fire” estarão patentes até 19 de dezembro.

Devido ao recolher obrigatório imposto pelo Governo, a galeria Underdogs tem um novo horário: entre as 14:00 e as 19:00 aos dias de semana e estará encerrada ao sábado, pelo menos até ao dia 23 desde mês.

Lembrando que a galeria estará aberta “respeitando as normas impostas pela Direção-Geral de Saúde”, Mário Belém salienta que “para quem quiser ficar em casa está a fazer-se uma componente online forte”, com disponibilização do catálogo e pequenos vídeos em que o artista explica as peças.

“Ponderou-se se havíamos de adiar outra vez a exposição ou não, mas eu queria pôr isto nas paredes da galeria. Não só porque é um tema contemporâneo, mas também porque não fazia sentido adiar mais. É um ‘não podemos parar'”, contou.

JRS // TDI

Lusa/fim