O presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, disse esta quinta-feira que a estrutura montada no Pavilhão do Fontelo por causa da Covid-19 tem condições para alargar o âmbito concelhio e ficar ao dispor de toda a região.

Almeida Henriques afirmou que a estrutura montada durante a primeira vaga da pandemia foi agora melhorada, tendo preparadas “64 camas articuladas que foram cedidas pelo Hospital de São Teotónio” e a possibilidade de “ser climatizada e ter sistema de oxigénio”.

“Ontem [quarta-feira] tive o contacto do secretário de Estado responsável pela Região Centro [João Paulo Rebelo] e do comandante distrital a perguntar se Viseu estaria disponível para por aquela estrutura do pavilhão do Fontelo ao serviço de toda a região”, contou aos jornalistas, no final da reunião de câmara.

O autarca referiu que a câmara mostrou “toda a abertura para que esta estrutura que hoje é concelhia” possa passar a apoiar a região, seja relativamente aos lares, seja no caso de “haver necessidade de ocupar o espaço com doentes Covid que o hospital queira deslocalizar”.

Segundo Almeida Henriques, “desde que o pessoal médico seja lá colocado, tem condições para, num curto espaço de tempo”, poder funcionar como hospital de campanha. “Quando criámos aquela estrutura era exatamente para servir a região como um todo”, frisou.

Almeida Henriques considerou que “esta é uma luta de todos, não conhece fronteiras, o vírus não para à entrada de um município ou de outro” e que o município de Viseu nunca se esquece do seu papel de apoiar a região onde está inserido.

O concelho de Viseu passou de 637 para 806 casos de Covid-19 (desde março), com mais 169 novos casos registados entre 4 e 11 de novembro. “Só do hospital de Viseu tivemos 29 casos. O que significa que houve, de facto, uma evolução grande face à semana anterior, em que tínhamos tido 65 casos”, disse Almeida Henriques.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.285.160 mortos em mais de 52,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Em Portugal, morreram 3.103 pessoas dos 192.172 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.