As economias da zona euro e da União Europeia tiveram, no terceiro trimestre, as maiores subidas em cadeia desde o início da série de, respetivamente, 12,6% e 11,6%, tendo Portugal crescido acima da média (13,3%), estima o Eurostat.

De acordo com uma estimativa rápida esta sexta-feira divulgada, o Produto Interno Bruto (PIB) da zona euro cresceu, entre julho e setembro, 12,6% face ao trimestre anterior e recuou 4,4% na comparação com o homólogo.

O PIB da União europeia (UE), por seu lado, avançou 11,6% face ao período entre abril e junho e recuou 4,3% na comparação com o terceiro trimestre de 2019.

Trata-se, destaca o Eurostat, em ambas as zonas da maior subida em cadeia desde o início da série temporal, em 1995.

No segundo trimestre, o PIB da zona euro tinha registado quebras históricas – 11,8% na zona euro e de 11,4% na UE – face aos primeiros três meses do ano, devido ao impacto da pandemia da covid-19.

Portugal registou uma subida em cadeia de 13,3% no PIB, no terceiro trimestre, depois de este ter recuado 13,9% entre abril e junho.

Na comparação homóloga, a economia portuguesa contraiu 5,7% no terceiro trimestre do ano, uma quebra acima das média da zona euro e da UE.

Entre os Estados-membros para os quais há dados disponíveis, a França foi o país cujo PIB mais subiu do segundo para o terceiro trimestre do ano (18,2%), seguida da Espanha (16,7%), da Itália (16,1%) e de Portugal (13,3%).