O PSD Loures, através do presidente Nelson Batista, emitiu este sábado um comunicado a condenarveementemente” a realização do Congresso do PCP que se realiza naquele município e classifica a decisão dos comunistas de “imprudente, incauta e negligente, colocando em risco todos os lourenses e desrespeitando o grande esforço que tem sido realizado por todos”. Para aquela concelhia , a realização do evento “merece, da parte do PSD, um profundo sentimento de repulsa e necessidade de atuação firme na sua denúncia e sinalização”.

Na última sexta-feira, em entrevista ao Observador, Jerónimo de Sousa, disse ao Observador que o Congresso do PCP vai mesmo realizar-se, lembrando que o número de delegados já foi reduzido em 50%. O secretário-geral do PCP disse mesmo ser “uma proposta inaceitável” adiar o Congresso e avisou: “Não se arrede dessa ideia os comandos constitucionais que determinam o exercício dos direitos e das liberdades. Não é uma atividade qualquer. Estamos a falar de direitos políticos, de liberdades que a Constituição consagra: em primeiro lugar, respeite-se a Constituição. Em segundo lugar, ninguém vê o congresso do PCP a poder mudar de sítio a uma semana ou duas de se realizar. Isso era a mesma coisa que proibir.”

Jerónimo de Sousa: “Nos Açores, o Chega voltou à barriga da mãe”

Voltando ao comunicado do PSD/Loures, os sociais-democratas manifestam ainda o “seu espanto e incredulidade” perante a decisão do PCP de avançar para o seu congresso, numa altura e que o munícipio é dos 121 “mais problemáticos”.

O PSD/Loures condena ainda o presidente da Câmara de Loures, Bernardino Soares, por afirmar que “o estado de emergência não suspende as atividades políticas”. Na interpretação dos sociais-democratas “o estado de emergência que vigora desde o passado dia 4 de novembro não prevê a realização de eventos de cariz político”.

Os sociais-democratas dizem ainda que “o bem-estar e saúde da população são uma preocupação premente para o PSD Loures” e lembra “que ainda existe um longo caminho a trilhar” no concelho. Garante ainda, em mais uma indireta ao PCP, que colocará sempre os interesses dos lourenses acima “dos interesses partidários do PSD”.