Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Menos de cinco mil dos 30 mil telemóveis prometidos no início de setembro pelo Ministério da Saúde já chegaram aos centros de saúde, noticia esta manhã o Público. Mas os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) garantem que, até 6 de novembro, já entregaram 10 mil telemóveis às administrações regionais de saúde (ARS).

Dos 4.762 telemóveis em questão, dois mil já foram para a região Norte e outros tantos deverão chegar durante esta semana. A região Centro recebeu 1.650 telemóveis e deverá receber mais 980 em breve. Em Lisboa e Vale do Tejo, a ARS adiantou que distribuiu 980 telemóveis por 15 agrupamentos de centros de saúde e que outros mil devem chegar na próxima semana. Para o Algarve foram 132 telemóveis e serão distribuídos mais 250. A ARS do Alentejo não respondeu ao Público.

Em setembro, a tutela tinha prometido reforçar os centros de saúde com 30 mil telemóveis, 30 mil telefones fixos, “a renovação do sistema de comunicações das unidades de cuidados de saúde primários” e “configuração das novas centrais digitais através de VOIP [telefonia pela internet]”, que devia estar terminada em outubro.

Sobre esta atualização, os SPMS explicaram ao Público que “tem estado a ser testado um novo modelo de funcionamento de centrais digitais que permitirá elevar a capacidade de resposta no atendimento telefónico” e que “foi já concluído com sucesso” o teste na ARS Norte. O sistema está “agora a ser replicado para todas as unidades da região” e testado no Centro e, a partir da próxima semana, em Lisboa e Vale do Tejo.

As falhas de comunicação por telefone entre os centros de saúde e os utentes já eram comuns antes da pandemia, mas agravaram-se numa altura em que cabe a estas unidades seguir por chamadas diárias os infetados pelo novo coronavírus e realizar o rastreio de contactos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR