Portugal registou mais 4.452 casos de infeção pelo novo coronavírus em 24 horas e 81 mortes por Covid-19, revela o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) publicado esta terça-feira. Nas últimas 24 horas, o país atingiu também o número máximo de pessoas dadas como recuperadas em 24 horas desde o início da pandemia: 7.290.

As 24 horas em que mais pessoas tinham sido dadas como recuperadas em Portugal tinham sido, até aqui, as da última sexta-feira, 13 de novembro: no dia seguinte, 14, o boletim apresentava 5.135 recuperados. Agora, esse máximo foi largamente batido: no boletim de esta terça-feira, com dados apurados na véspera, a DGS apresenta 7.290 novos recuperados. Ou seja, mais 2.155 do que o máximo anterior.

Entre as 230.124 pessoas que tiveram infeção confirmada desde o início da pandemia, 149.445 — equivalente a 65% — foram dadas como clinicamente recuperadas e 3.553 morreram.

Apesar do número de recuperados ter atingido um novo recorde, à meia-noite desta terça-feira estavam internadas em hospitais portugueses 3.028 pessoas, menos 12 do que à mesma hora da véspera, e hospitalizadas em unidades de cuidados intensivos — onde são tratados os doentes em estado mais grave — 431 pessoas, mais 5 do que na véspera e um máximo desde o início da pandemia.

No mesmo dia da semana anterior, 10 de novembro, o boletim identificava 2.742 pessoas internadas e 382 em unidades de cuidados intensivos.

Casos disparam no Alentejo, com 243 novas infeções (mais 204 do que na véspera)

A região do Alentejo é a que regista um maior aumento relativo de casos face ao dia anterior. No boletim da véspera, que inclui dados apurados no domingo, o número de novos casos identificados no Alentejo foi 39. No boletim desta terça-feira, com dados referentes a segunda-feira, o Alentejo aparece como tendo 243 novas infeções. Ou seja, mais 204 do que na véspera.

Face ao mesmo dia da semana anterior, o Alentejo explode de 41 para 243 novos infetados (mais de cinco vezes mais).

Seguem-se o Algarve, com 65 novas infeções, a Madeira, com 27 novos infetados, e os Açores, com 11.

O 3º pior dia em mortes

As 24 horas de segunda-feira foram também o 3.º pior dia em mortes desde o início da pandemia — de acordo com o boletim divulgado esta terça-feira pela DGS (com dados apurados, como habitual, na véspera).

Das 81 vítimas mortais infetadas com o novo coronavírus registadas em Portugal esta segunda-feira, mais de metade (43) eram da região Norte, 21 eram da região de Lisboa e Vale do Tejo, 11 eram da região Centro, 4 eram do Alentejo e 2 eram do Algarve. Nos Açores e na Madeira não há registo de mortes nas últimas 24 horas.

Das 81 pessoas infetadas que morreram em Portugal nas últimas 24 horas, 55 tinham 80 anos ou mais (20 homens e 35 mulheres), 21 tinham entre 70 e 79 anos (14 homens e 7 mulheres), 3 tinham entre 60 e 69 anos (2 homens e 1 mulher) e 2 tinham entre 50 e 59 anos (dois homens).

Tal equivale a dizer que 76 das 81 vítimas mortais tinham 70 anos ou mais e que nenhuma das vítimas mortais infetadas com o novo coronavírus nas últimas 24 horas tinha menos de 50 anos.

Ao todo, desde o início da pandemia, morreram já 3.553 pessoas que foram infectadas com o SARS–CoV–2.