A Câmara da Maia anunciou esta terça-feira a criação de uma estrutura de retaguarda com 45 camas para acolher pessoas infetadas ou em isolamento profilático, medida que faz parte de um pacote de 12 ações dedicadas ao combate à Covid-19.

Esta estrutura de retaguarda será instalada numa unidade hoteleira da Maia, no distrito do Porto, e será “de âmbito municipal ou outro”, conforme se lê no comunicado enviado à agência Lusa.

[Servirá] para eventual necessidade de alojamento de pessoas em isolamento profilático ou em situação de infeção confirmada da doença Covid-19 que, face à avaliação clínica, não determine a necessidade de internamento hospitalar”, descreve a autarquia da Maia.

O local não foi revelado e a reserva das 45 camas inclui refeições. Esta é uma das 12 medidas de combate à pandemia que foram aprovadas em reunião de câmara, na segunda-feira, e que, no total, totalizam um investimento a rondar os 640 mil euros.

“As 12 medidas são tomadas em articulação com a Administração Regional do Norte (ARS-N), o ACES [Agrupamento de Centros de Saúde] Maia/Valongo, a Saúde Pública Local e o Instituto de Segurança Social, na sequência do agravamento da situação epidémica”, refere a câmara da Maia.

Já a desativada Escola do Príncipe da Beira, localizada em Gueifães, vai acolher uma Área dedicada aos Doentes Respiratórios (ADR), medida resultante de um acordo com a ARS-N. A autarquia liderada por António Silva Tiago também anunciou que será “prestado o apoio logístico com meios humanos e técnicos para o alargamento temporário da Unidade de Saúde Pública da Cidade da Maia”.

Dos três centros de testes rápidos de antigénios para o SARS-CoV-2, que em 15 minutos permite saber se estão ou não infetados com o novo coronavírus, um destina-se à população em geral e resulta de um protocolo com a Cruz Vermelha Portuguesa, e dois ficam à disposição das empresas”, descreve também a autarquia.

Já a Linha Verde Institucional Covid-19 será alargada aos sete dias da semana e será instalada uma central de atendimento gratuita para utentes das Unidades de Saúde Familiar do concelho. Soma-se a disponibilização de técnicos superiores para auxílio nos rastreios epidemiológicos, bem como viaturas e técnicos para reforço das equipas de intervenção rápida.

“O município vai ainda promover campanhas de sensibilização sobre boas práticas de saúde pública destinadas a todos os cidadãos”, concluiu a autarquia.