O presidente indigitado do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, reiterou esta segunda-feira que até final do mês tomará posse o novo executivo, pretendendo uma “transição tranquila, serena e sobretudo colaborante” com o governo cessante, socialista.

Bolieiro, falando aos jornalistas no final da constituição do novo parlamento açoriano, defende que o regime “está um pouco anacrónico” nesta matéria, porque “o ato de governar e a transição governativa devem ser atos de grande responsabilidade”, feitos com “serenidade”, mais a mais em momentos como o atual nos Açores, de “alternância democrática”.

De todo o modo, asseverou, o novo executivo será revelado e tomará posse em pouco tempo, até porque o contexto atual, pandémico, exige uma frente governativa ativa.

O deputado do PSD Luís Garcia, da ilha do Faial, foi esta segunda-feira eleito presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, batendo a concorrente proposta pelo PS, Bárbara Chaves.

O social-democrata que vai agora presidir à Assembleia Regional é deputado ao parlamento açoriano desde 2008.

A indicação por parte da mesa da eleição de Luís Garcia mereceu aplausos de representantes de todas as oito bancadas parlamentares.

Na sua primeira intervenção, o responsável foi perentório: “o novo quadro político que aqui nos trouxe é mais plural e abrangente, mas também mais complexo, exigindo de todos uma maior responsabilidade e disponibilidade para o diálogo construtivo e compromisso democrático”, disse.

A XII Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores foi esta segunda-feira formalmente constituída, numa sessão que decorreu esta tarde na cidade da Horta, na ilha do Faial.

Nem todos os 57 deputados eleitos nas eleições de 25 de outubro tomaram já o seu lugar, sendo ainda nesta fase substituídos por outros membros da lista dos seus partidos.

Em causa estão diversos deputados eleitos que são ainda membros do atual executivo socialista, logo a começar pelo presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, bem como António Ventura, do PSD, que pediu a suspensão do mandato por também exercer o cargo de deputado à Assembleia da República.

Também Miguel Costa, socialista eleito pelo Pico, não tomou esta segunda-feira posse por ainda exercer o cargo de presidente da Portos dos Açores, empresa que abandonará em breve.

O líder do PSD/Açores, José Manuel Bolieiro, foi indigitado recentemente presidente do Governo Regional pelo representante da República para os Açores, Pedro Catarino.

O PS venceu as eleições legislativas regionais, mas perdeu a maioria absoluta, que detinha há 20 anos, alcançando 25 dos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional.

PSD, CDS-PP e PPM, que juntos representam 26 deputados, anunciaram um acordo de governação, tendo alcançado acordos de incidência parlamentar com o Chega e o Iniciativa Liberal (IL).

Com o apoio dos dois deputados do Chega e do deputado único do IL, a coligação de direita soma 29 deputados na Assembleia Legislativa dos Açores, número necessário para atingir a maioria absoluta.

Bolieiro adiantou já que até final do mês estará em condições de apresentar ao parlamento açoriano o próximo executivo da região.