Após uma recuperação verificada no mês de setembro, o mercado automóvel voltou a cair em outubro na sequência do confinamento em vários países, indicam esta quarta-feira as empresas construtoras.

O número de registos de novas viaturas particulares recuou para os níveis de 2018 caindo 7,8% em comparação com os valores de 2019 — para 953.615 unidades — anunciou a Associação de Construtores Europeus de Automóveis (ACEA) através de um comunicado.

Devido aos efeitos da crise sanitária, a procura caiu significativamente nos mercados europeus: A Espanha registou uma diminuição de 21%, a França 9,5%, a Polónia 14,6% e a Bélgica 9,4%. Tanto na Alemanha (-3,6%) como em Itália (-0,2%) as concessões que permaneceram em aberto limitaram as quebras.

A queda das encomendas regista valores “sem precedentes” sublinha a ACEA. O mercado espanhol foi o mais atingido com menos 670 mil veículos vendidos sendo que em 2019 as vendas ultrapassaram um milhão.

A ACEA que reúne 16 construtores na Europa previa, antes da pandemia de Covid-19, uma queda de apenas 02% depois de seis anos consecutivos de crescimento em relação às vendas.