A história recente da Bélgica prende-se com um sucesso constantemente adiado. No topo do ranking da UEFA há bastante tempo, considerada uma das equipas mais interessantes no plano europeu, recheada de jogadores que atuam em Inglaterra, em Espanha e em Itália, a Bélgica continua sem conseguir alcançar títulos — ou sequer chegar a finais. 

Era também com esse pensamento subliminar que a equipa de Roberto Martínez abordava o jogo desta quarta-feira com a Dinamarca, onde um empate significava logo à partida o apuramento para a final four da Liga das Nações. O receio belga não se prendia necessariamente com a hipótese de chegar à fase final e não conseguir, novamente, alcançar o jogo derradeiro; prendia-se, antes disso, com a remota mas sempre presente hipótese de algo correr mal e de serem os dinamarqueses, com uma vitória, a garantir a qualificação.

“Não podemos pensar que vamos só aparecer em campo e ganhar. Vamos ter de dar provas no campo outra vez. É uma espécie de final, temos de ter isso na cabeça. A Dinamarca é uma boa equipa, ganharam em Inglaterra no mês passado. Têm um conjunto de jogadores que jogam na Premier League, na Bundesliga e na liga espanhola. Queremos mostrar o que podemos fazer mas não vai ser fácil, um 3-0 ou 4-0 está fora de questão”, explicou Courtois, guarda-redes belga, na antevisão da partida. O guardião do Real Madrid recordou, aliás, que há dois anos a Bélgica esteve exatamente na mesma posição, a um empate de chegar à final four. Perdeu com a Suíça no último jogo da fase de grupos e acabaram por ser os helvéticos a disputar os encontros decisivos em Portugal no verão do ano passado.

“Estávamos a ganhar 2-0 aos 10 minutos e provavelmente pensámos que estava ganho. Foi um erro. Mas aprendemos com isso, tenho a certeza”, acrescentou Courtois, lembrando a partida que terminou com a Suíça a golear a Bélgica por 5-2. E aprenderam mesmo. Contra a Dinamarca, os belgas começaram a ganhar com um golo de Tielemans (3′), Wind empatou (17′) mas a seleção de Roberto Martínez soube dar a volta: Lukaku bisou (57′ e 69′), os dinamarqueses reduziram com um autogolo atribuído a Courtois (86′) e De Bruyne fechou as contas (87′).

No outro jogo, Inglaterra goleou a Islândia com golos de Declan Rice, Mason Mount e um bis de Phil Foden, que se estreou a marcar pela seleção (4-0). A Bélgica juntou-se a França, Espanha e Itália e vai estar na final four da Liga das Nações — naquilo que pode ser o primeiro passo do sucesso constantemente adiado dos belgas.