O presidente da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), Carlos Pinto de Sá, lamentou esta quinta-feira a ausência de dados atualizados sobre os casos de Covid-19 nos concelhos do território, alertando que a situação causa “preocupações e dificuldades”.

Segundo disse à agência Lusa o também autarca de Évora, eleito pela CDU, as câmaras municipais do Alentejo Central não estão a receber, há cerca de uma semana, dados atualizados sobre os casos de Covid-19 nos respetivos concelhos.

No caso de Évora, indicou, a câmara municipal está “há sete dias, desde o dia 12”, sem dados da Saúde Pública, o que está a causar “preocupações e dificuldades”, nomeadamente “na preparação do trabalho, planeamento e resposta aos casos”.

Por outro lado, Pinto de Sá alertou que “a população, quando não conhece os dados” da pandemia nos seus concelhos”, começa a pensar que pode haver uma situação mais grave do que aquela que realmente existe e, naturalmente, põe em causa a credibilidade” da informação.

Não tenho informação do que é que pode estar a causar a falta de dados. Há zonas do Alentejo em que os municípios continuam a receber dados, mas aqui não. Admito que possam existir problemas ou alterações no sistema de dados”, sublinhou.

Segundo o presidente da CIMAC, o Governo e as entidades competentes já foram alertados para o descontentamento dos autarcas e para a “necessidade de serem facultados dados atualizados” da pandemia. Várias câmaras municipais do Alentejo Central, como as de Estremoz, Vila Viçosa e Viana do Alentejo, já manifestaram preocupação com a ausência de dados da pandemia de Covid-19.

O município de Viana do Alentejo, presidido pelo socialista Bernardino Bengalinha Pinto, informou esta quinta-feira que não tem divulgado os dados referentes ao concelho porque “não os tem recebido das entidades oficiais, desde o dia 14”. Já o de Estremoz, liderado por Francisco Ramos, eleito por um movimento independente, indicou na quarta-feira que não tem dados atualizados sobre o concelho desde o dia 12.