Quando chegamos a Novembro, há todo um estado de espírito que começa a mudar. São os dias a ficar mais curtos, os casacos a sair do roupeiro e as ruas que, sem darmos por isso, ganham iluminações festivas quando ainda parece que ontem era verão. Se acha que ainda é cedo para decorar a sua casa e a árvore de Natal ainda está arrumada na arrecadação, ajudamos a criar uma playlist adequada. A verdade é que as músicas têm a capacidade de nos transportar para outros tempos e de mudar a forma como nos sentimos instantaneamente.

E há histórias incríveis por trás de algumas das melhores músicas de Natal. Quase todos os artistas já cantaram músicas natalícias em algum momento ao longo dos anos, muitas delas tornaram-se mesmo sucessos intemporais que passaram de geração em geração e enriqueceram os seus criadores até hoje. Entre clássicos, novidades e algumas sátiras, mostramos-lhe as músicas que tem de acrescentar à sua banda sonora das próximas semanas para entrar definitivamente no Natal.

1 Have Yourself a Merry Little Christmas

Começou por ser uma música para os soldados americanos nos anos quarenta mas só ganhou um sucesso avassalador quando Judy Garland a cantou no filme “Meet Me in St. Louis”. Intemporal, já foi gravada por dezenas de artistas, de Frank Sinatra a Ella Fitzgerald. O cantor britânico Sam Smith gravou esta versão em 2014 e foi a primeira vez que a música entrou para o Billboard Hot 100.

2 White Christmas

É curioso que, quando foi lançada, não teve grande sucesso porque se tornou na música mais vendida de todos os tempos e conhecem-se centenas de versões em diferentes línguas. Mas nenhuma se equipara à original e responsável pelas mais de 50 milhões de cópias vendidas. A voz de Bing Crosby é intemporal e, aos primeiros acordes, já nos transporta para memórias da nossa infância.

3 Santa Baby

Gravada pela atriz de cabaré Eartha Kitt, foi uma das primeiras músicas de Natal a ter uma abordagem mais sensual, embora sem grande sucesso. Durante anos, nenhuma artista quis pegar nela até que, em 1987, Maddona gravou-a para um álbum solidário e deu-lhe uma nova popularidade. No ano passado, Miley Cyrus fez uma sátira no Tonight Show com Jimmy Fallon e deu-lhe uma nova letra feminista que se tornou viral nas redes sociais. Embora nunca a tenha gravado fora do programa, pedidos não faltam. Ouça-a este ano e partilhe com as suas amigas.

4 Rockin’ Around the Christmas Tree

É um dos grandes clássicos de Natal na voz inconfundível de Brenda Lee que, em 1960, e com apenas treze anos, ganhou sucesso à escala global. Em 1990, a música passou na sua totalidade no filme “Sozinho em Casa”, catapultando-a novamente para um sucesso estrondoso numa nova geração de ouvintes e que perdura até aos dias de hoje. Não há rádio que não toque esta música durante a época do Natal.

5 Christmas (Baby Please Come Home)

Um clássico dos filmes de Natal e do nosso imaginário, esta música foi lançada em 1963 no dia em que o presidente John F. Kennedy foi assassinado. Mau augúrio ou apenas coincidência, a música, bem com o álbum inteiro de Darlene Love, foi um fracasso. Nos anos 80, David Letterman viu-a actuar num musical e convidou-a para cantar no seu programa de Natal e a tradição pegou. Durante trinta anos, Darlene Love cantou esta música no especial de Natal de Letterman até 2014, quando o apresentador se retirou da televisão. A música? Bem, já é um clássico de qualquer playlist.

Guia de compras de Natal sem confusões

6 All I Want For Christmas Is You

Um dos maiores sucessos globais de Natal foi escrito em quinze minutos durante o mês de Agosto e, curiosamente, Mariah Carey nem sequer queria gravar um disco de Natal porque achava que era coisa para… velhos. Ainda bem que o fez porque os seus filhos irão viver muito bem o resto das suas vidas apenas à conta desta música. Em 2017 já lhe tinha rendido 70 milhões de euros em royalties.

7 Last Christmas

Não falando sequer de Natal… tornou-se um clássico de Natal. E é fácil entender porquê. Fala sobre partirem-nos o coração que, infelizmente, é um sentimento com que todos nos identificamos. E que parece que dói mais durante esta época. George Michael escreveu esta música em 1984 numa visita a casa dos seus pais tornou-se o single mais vendido no Reino Unido que nunca chegou a número um. Quem viu o filme “O Amor Acontece” vai perceber que, neste país, gravar a música de Natal que chega ao topo da tabela é uma luta renhida.

8 Do They Know It’s Christmas

O mais irónico é que George Michael cantou na música responsável por “Last Christmas” não ter chegado a número um. Escrita por Bob Geldof e produzida por Midge Ure em 1984, juntou alguns dos maiores artistas britânicos da altura – David Bowie, Bono, Sting, Phil Collins, Boy George, Paul Young, entre outros. A música foi gravada ao longo de vinte e quatro horas de um domingo de novembro e lançada quatro dias depois. No total, rendeu 28 milhões de dólares para ações de solidariedade.

9 Jingle Bell Rock

Começou por ser uma paródia às próprias músicas de Natal mas tornou-se um dos maiores clássicos de sempre. Gravada pela primeira vez em 1957 pelo cantor country Bob Helms, já foi cantada pelas vozes de centenas de artistas mas a versão original continua a ser a mais tocada e a colocar qualquer pessoa no espírito natalício.

10 Santa Claus is Coming to Town

É estranho pensar que, em 1932, ninguém a quis produzir por ser infantil. Só em 1934 Fred Cots, um dos criadores da letra, iria conseguir convencer o comediante Eddie Cantor a cantá-la na rádio em directo, uma performance que não foi gravada. A música teve um sucesso de tal forma imediato que, dias depois, foi gravada pelo cantor Tom Stack e tornou-se o maior êxito desse ano. E perdura até hoje. A versão de Michael Bublé na sua inconfundível voz quente é das mais bem sucedidas dos últimos anos.

11 Sleigh Ride

A versão original foi composta em 1946 e gravada pela Boston Pops Orchestra sem voz. Só em 1950, Mitchell Parish iria escrever a famosa letra que a viria a tornar uma das músicas mais populares de sempre. A icónica versão das The Ronettes continua a ser das mais tocadas e obrigatória na sua playlist.

12 Happy Xmas (War is Over)

Lennon chegou a dizer que queria escrever uma música de Natal com uma mensagem anti-guerra porque estava farto de ouvir a “White Christmas”. Infelizmente, no ano em que foi lançada não teve grande sucesso nos Estados Unidos da América. Iria correr melhor no Reino Unido mas só após a morte de Lennon é que viria a ser catapultada para as playlists de Natal. Nos tempos que estamos a viver, nunca fez tanto sentido o que Lennon diz: Let’s hope it’s a good one, without any fear.

Saiba mais em https://observador.pt/seccao/observador-lab/natal-observador/