O pedido de liberdade condicional de Christian Brueckner foi negado pelo tribunal de Braunschweig, que, de acordo com a Sky News, considera que a segurança pública está em risco caso o suspeito do desaparecimento de Madeleine McCann seja libertado.

No final de julho, o alemão pediu para ser libertado do estabelecimento prisional de Kiel, no norte da Alemanha, onde está a cumprir pena por tráfico de drogas. A 7 de junho já tinha cumprido dois terços da pena, que termina em janeiro de 2021, justificando assim o pedido de liberdade condicional.

Violação, abuso de menores, droga. Os outros crimes de Christian Brueckner, o novo suspeito do caso Maddie

No entanto, os antecedentes criminais de Brueckner, relacionados com abuso sexual, ofensa à integridade física, roubo e outras contraordenações, assim como a violação da liberdade condicional de sentenças anteriores fizeram com que o tribunal negasse o novo pedido. “Esperamos uma recaída com os crimes graves dele”, considerou o tribunal. “Não encontrámos nenhum fator de estabilização que impeça Christian B. de voltar a cometer crimes”.

Advogado de Christian Brueckner diz que o cliente foi agredido em tribunal e que teve de receber tratamento hospitalar

Na segunda-feira, o advogado do alemão alegou que este teria sido agredido por funcionários enquanto esperava num tribunal para ser ouvido. Já o tribunal garante que o suspeito sofreu ferimentos nas costelas “enquanto a polícia colocava algemas nos seus tornozelos”. Segundo a imprensa local, Brueckner partiu duas costelas e precisou de tratamento hospitalar.