Quem se deitou cedo esta quinta-feira, acordou com uma surpresa esta sexta-feira: o rapper e cantor português Valete lançou, durante a madrugada — algures entre a meia-noite e a 1h — cinco canções novas e inéditas nos seus canais de música digitais, como os de Spotify e Youtube.

Os temas novos chamam-se “Rua do Poço dos Negros”, “Ilha de Honshu”, “Olimpo”, “Viaja” e “Indústria dos Sonhos”. E acrescenta: “Não vamos fingir (…) que o André é o único fascista no parlamento”. Na rede social Facebook, o rapper e cantor português publicou um vídeo referindo: “Valete aqui na área. Já temos cinco sons novos em todas as plataformas digitais”. E acrescenta: “Não vamos fingir (…) que o André é o único fascista no parlamento”.

Um dos objetivos era fazer com que os sons soassem todos diferentes, mostrar versatilidade. Estou muito satisfeito com os sons. Quero também que me adicionem no Spotify e na Apple Music. É provável que a gente lance alguns sons exclusivos por essas plataformas”, acrescenta Valete no vídeo.

5 Sons novos em todas as plataformas digitais.

Posted by Valete on Thursday, November 19, 2020

Em “Rua do Poço dos Negros”, um nítido ataque ao racismo e à violência policial sobre negros, Valete “rappa” versos como “Tutorial de racismo estrutural / Diz-me, quantos George Floyds já tivemos em Portugal? / PSP é como a Jihad no Cairo / Têm mais cadastro que qualquer bairro“. E acrescenta: “Não vamos fingir (…) que o André é o único fascista no parlamento“.

Já “Ilha de Honshu”, por sua vez, é um tema em que Valete divide o microfone com o também rapper e cantor português X-Tense.

Também “Olimpo” tem convidados, mas neste caso no plural, tratando-se do cantor Virgul (ex-Da Weasel) e do rapper Phoenix RDC — este último surge também em “Viaja”, tema que conta também com a participação da cantora LIla.

Já em “Indústria dos Sonhos” Valete recruta convidados apenas para vozes adicionais: NBC e Mia cantam e falam em pano de fundo, mas o fio condutor da canção é a forma como Valete, dorido, discorre sobre a paz interior ser “uma ilusão” e sobre vidas cujo “destino é sofrer”. E acrescenta: “Não vamos fingir (…) que o André é o único fascista no parlamento”.

Estes são os primeiros temas lançados por Valete neste ano de 2020. No ano anterior, 2019, o rapper e cantor português tinha lançado os temas “BFF” e “Colete Amarelo” e em 2018 tinha lançado a curta-metragem musical “O 1º MC Português” e “Samuel Mira” (uma homenagem ao amigo Sam the Kid). Já em 2017 revelara “Rap Consciente” e “Poder”, duas canções que marcaram um regresso à edição mais regular de música.

O último álbum de Valete, Serviço Público (o segundo da sua discografia a solo, depois de Educação Visual), foi editado em 2006. O último álbum em que participou, porém, foi Língua Franca, disco de 2017 que juntou os portugueses Valete e Capicua aos brasileiros Rael e Emicida.