O empresário João Flores morreu na madrugada de sábado em Madrid aos 85 anos, avança o espanhol El Confidencial. O presidente do Conselho Diretivo da Câmara de Comércio Hispa­no-Portuguesa foi membro de conselhos de administração de grandes empresas e ainda proprietário de restaurantes e estabelecimentos em Lisboa. Foi também João Flores, pai da empresária Catarina Flores, quem introduziu em Espanha e em Portugal os supermercados Jumbo/Pão de Açúcar.

Em 1969, João Flores e Isabel Megre, então estudantes no atual ISEG, participaram numa viagem de finalistas ao Brasil, onde foram desafiados pelo empresário e emigrante português Valentim Dinis, fundador do Pão de Açúcar, a expandir a rede de supermercados em Portugal —  foi o filho Abílio Diniz quem apoiou a equipa portuguesa e em três anos foram abertas 18 lojas.

O primeiro moderno supermercado, inaugurado em maio de 1970, apresentava grandes dimensões para a época e localizava-se na Avenida Estados Unidos da América, em Lisboa. Representou um importante marco na história da distribuição no país — em 15 anos a rede atingiu as 49 lojas. O grupo chegou a liderar o mercado durante vários anos e foi o primeiro a lançar um cartão de crédito, “Jumbo Mais”, em meados da década de 1990 (antes foi pioneiro no lançamento de uma loja de conveniência).

De acordo com a Lusa, a empresa participada pelo grupo Pão de Açúcar (SUPA – Companhia Portuguesa de Supermercados) sofreu ocupações em 1974 e acabou por ser intervencionada em abril de 1975 pelo Estado português, que passou a deter o controlo acionista, em conjunto, com os brasileiros. A ocupação de propriedades brasileiras em Portugal, incluindo esta cadeia de supermercados, motivou à data um contencioso entre Lisboa e Brasília.

Em 1996, a rede Pão de Açúcar foi comprada pela francesa Auchan, mas manteve a nomenclatura utilizada pela antiga cadeia de supermercados — Pão de Açúcar para supermercados e Jumbo, com um símbolo de um elefante, para os hipermercados. Em setembro de 2019, o grupo Auchan Retail Portugal mudou oficialmente o nome dos seus estabelecimentos para “Auchan”.

João Flores no 46° aniversário do primeiro restaurante italiano de Lisboa, La Trattoria (© la_trattoria_lisboa/Instagram)

As festas na companhia da alta sociedade

João Flores tinha um perfil profissional pouco ostentoso, mas o mesmo não se pode dizer da vertente social, uma vez que a mulher, Tita Torrabadella, é conhecida por organizar festas de aniversário que reúnem figuras da alta sociedade. Exemplo disso foi a festa de 80 anos de João Flores, em 2015, quando convidou um grupo de ilustres amigos para passar um fim de semana em Lisboa. O grupo ficou hospedado no Hotel Ritz e no dia seguinte o jantar aconteceu no restaurante italiano La Trattoria, propriedade do aniversariante, tal como detalhava à data a revista Caras.

Entre os convidados estavam elementos da alta sociedade espanhola e nomes portugueses bem conhecidos do público — Francisco Pinto Balsemão, Paulo Portas ou Bárbara Guimarães, bem como alguns membros da família Espírito Santo. Foi precisamente nesse jantar que a socialite Isabel Preysler e o escritor peruano Mario Vargas Llosa confirmaram publicamente a sua relação. Curiosamente, por altura da celebração dos 70 anos, João Flores juntou os amigos na cidade de Biarritz, em França, onde reservou o luxuoso hotel Du Palais.

Aos 85 anos, continua o El Confidencial, era uma pessoa muito querida, mas em junho deste ano a pandemia de Covid-19 impediu-o de reunir os amigos e celebrar em grande mais um aniversário.