São escritos por juízes, ilustrados por juízes, com fotografias tiradas por juízes, no âmbito de um projeto organizado por juízes. É assim que é apresentado o livro com 16 contos escritos por 16 juízes, o “Tribunal de Contos”, apresentado esta sexta-feira no Tribunal da Relação de Lisboa.

O livro resulta de um concurso literário “O Outro Lado da Escrita”, promovido pela Associação Sindical dos Juízes Portugueses, que lançou o desafio aos magistrados de escrever um conto. Agora, 16 deles foram escolhidos e reunidos neste livro, incluindo os quatro premiados e os cinco distinguidos com menções honrosas pelo júri. A juíza desembargadora Eleonora Viegas, responsável pela organização do livro, adianta, num comunicado, que há neste livro “histórias que tanto confirmam o trabalho de um juiz, como nada têm a ver com o tema”.

Na vida de um juiz não há apenas processos e julgamentos – tal como na vida de um escritor não há apenas o trabalho da escrita”, afirma a juíza desembargadora.

Editado pela Almedina, o livro já vai na 2.ª edição e as receitas revertem para a Casa do Juiz. O prefácio é escrito pelo juiz conselheiro Álvaro Laborinho Lúcio, que lembra que os juízes e juízas que “sofrem a expectativa da decisão, compreendem, agora deste lado, o justo e o injusto das avaliações alheias”.

Vivem, na própria pele, a vitimização de quem se sabe na dependência inelutável de outrem”, escreve ainda. O objetivo é que este seja o primeiro livro de uma coleção.

Os contos e os juízes autores

Mostrar Esconder
  1. “A casa encantada” de Carla Xavier Coelho
  2. “Rua da Senhora Dona Ilda” de Jerónimo Alberto Gonçalves Santos
  3. “Dias do meio” de Catarina Chiquelho
  4. “Trinta anos” de Rui Coelho
  5. “No azul do vento” de Laura Dias Godinho Ribeiro Rações
  6. “Afinal amanhã não vou às compras” de Emília Ramos Costa
  7. “Dona Preta e Dona Branca” de Paulo Guerra
  8. “Papoilas” de Sandra dos Reis Luís
  9. “Breve” de Mafalda Rio
  10. “Pequeno guia da paixão” de António M
  11. “Removam-me o corpo”, de Carlos Querido
  12. “Pessoas” de Fernando Tainhas
  13. “Em nome do pai” de José Eusébio Almeida
  14. “Discórdia” de José Igreja Matos
  15. “A Graduação” de Manuel Capelo
  16. “Sofia, uma vida sem história” de Renato Barroso

A apresentação desta sexta-feira é apenas a primeira de três. A segunda será no Tribunal da Relação de Coimbra, no dia 27 de novembro, e a terceira, no Tribunal da Relação do Porto, no dia 4 de dezembro.