A Hongqi é desconhecida para os ocidentais, mas foi criada em 1958, o que faz dela a mais antiga marca de luxo chinesa, com o que quer que isso possa significar. É parte integrante da FAW, empresa estatal que é uma das sócias na China dos alemães do Grupo Volkswagen.

Talvez por tanto ouvir falar das enormes grelhas que a BMW começou a usar nos seus veículos mais emblemáticos, primeiro no Série 7 e mais recentemente no X7, tendência que o fabricante bávaro entretanto alargou a outros modelos, os chineses da Hongqi decidiram que a personalidade que faltava no seu H9, o topo de gama do construtor, seria conseguido à custa do mesmo argumento: uma grelha gigantesca.

6 fotos

Com 5,12 metros de comprimento e 3,06 metros de distância entre eixos, o H9 tem tudo para ser um digno topo de gama, tanto mais recorre ao Audi A6 como base. As suas linhas podem torná-lo muito apetecível naquele país oriental, mas dificilmente conseguiria fazer carreira na Europa ou nos EUA.

Daí que os estilistas da Hongqi tenham optado por seguir a onda da BMW e também eles dotaram o seu topo de gama com um “sorriso rasgado”, à custa de uma grelha descomunal. Só que, já que estavam em maré de abusar das dimensões das entradas de ar na frente do carro, não se contentaram em desenhar apenas uma grelha larga, como no Série 7, criando uma igualmente alta. O resultado é uma mistura de imponente e de assustador, que visa conquistar quem escolhe a berlina mais luxuosa pelo tamanho da grelha.