O transporte público feito pela CP, Fertagus e Metro Transportes do Sul na Área Metropolitana de Lisboa (AML) vai ser reforçado com 70 autocarros turísticos a partir de quarta-feira, durante as horas de ponta, foi esta segunda-feira anunciado.

Em comunicado, a AML explicou que o reforço de oferta terá um custo de 750 mil euros e que estes transportes irão decorrer diariamente durante 62 dias.

As exceções serão os dias 30 de novembro, 1, 7, 8 e 25 de dezembro, 1 de janeiro e 16 de fevereiro.

“Por motivos de pressão de procura e limitação da lotação no cenário atual de pandemia, justifica-se um reforço da capacidade de transporte, capaz de reduzir os níveis de lotação mais elevados”, pode ler-se.

Para o apoio à Fertagus serão afetadas 13 viaturas, que farão os percursos Pragal /Sete Rios, entre as 6h20 e as 8h20, Sete Rios / Pragal, entre as 17:20 e as 18:10, Sete Rios / Setúbal, entre as 17h15 e as 17h30, explica a AML.

Relativamente à Metro Transportes do Sul, o serviço de apoio envolve 22 viaturas, nos percursos Cacilhas / Laranjeiro, entre as 16h30 e as 18h10, Laranjeiro / Cacilhas, entre as 7h20 e as 8h10, Universidade Nova / Pragal, entre as 16h30 e as 18:10, e Pragal / Universidade Nova, entre as 7h20 e as 8:10.

Para apoio à CP e Metropolitano de Lisboa, serão disponibilizados 36 autocarros, para os percursos Amadora CP / Metro Pontinha, entre as 7h00 e as 8h25, e Cacém CP / Metro Pontinha, entre as 7h00 e as 8h25.

“Os serviços poderão, no entanto, ser ajustados em função das contingências inerentes ao estado de pandemia“, realça a AML.

O reforço do transporte público, que estava previsto para segunda-feira, tinha sido adiado por “questões operacionais”, tinha adiantado à Lusa fonte da ANTROP na sexta-feira.

A medida, era referido em comunicado da ANTROP — Associação Nacional de Transportes de Passageiros, vai retirar trabalhadores de lay-off, permitindo, igualmente, o regresso à estrada de veículos parados desde abril devido à falta de atividade turística por causa da pandemia de Covid-19.

Apesar desta solução de apoio rodoviário do turismo à ferrovia, anunciada pelo secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, no início de novembro, estar prevista também para o Porto, vai iniciar-se, para já, apenas em Lisboa, segundo a ANTROP.

Na altura do anúncio, o Governo avançou que as Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto iam ter 1,5 milhões de euros para aquisição de serviços de transporte.