A criminalidade em Macau desceu 33,1% nos primeiros nove meses deste ano, comparativamente ao período homólogo de 2019, foi esta quinta-feira anunciado.

As autoridades instauraram 7.092 inquéritos criminais, o que representa uma diminuição de 33,1%, em relação a igual período do ano passado, de acordo com o balanço dos três últimos trimestres de 2020 apresentado pelo gabinete do secretário para a Segurança de Macau, Wong Sio Chak.

As autoridades registaram uma subida de 41 casos de jogo ilegal, em comparação com os 11 casos verificados em igual período do ano passado.

Já os casos de tráfico de drogas desceram 43,6%, com 53 casos nos primeiros nove meses de 2020, contra 94 casos no mesmo período de 2019, devido à pandemia da Covid-19, com os traficantes a recorrem cada vez mais a pacotes postais ou a contrabandistas.

Na criminalidade violenta, as autoridades registaram, de uma modo geral, uma diminuição de 67,7%, com 169 casos nos primeiros nove meses deste ano contra 523 em igual período de 2019.

Nos crimes de abuso sexual de crianças deu-se uma subida de 63,6%, com 18 casos entre janeiro e setembro de 2020, contra 11 no mesmo período de 2019. A maioria dos casos ocorreram nas escolas ou no ambiente familiar.

As autoridades do território registaram também um aumento nos casos referentes a “pornografia de menor”, tendo resolvido cerca de 60 casos através dos mecanismos de cooperação com vários países e regiões.

O balanço da criminalidade de janeiro a setembro de 2020 destacou que o “sistema de videovigilância em espaços públicos de Macau”, conhecido como “Olhos no céu” auxiliou a investigação de mais de 1.600 crimes.

O sistema “Olhos do Céu” entrou em funcionamento faseado em 2016, 2018 e 2020, enquanto o planeamento da instalação de mais 300 a 600 câmaras de videovigilância, na quinta e sexta fases, está em estudo, indicou o documento.

Devido à pandemia da Covid-19 e ao reforço das inspecções policiais, registou-se uma descida geral dos crimes em Macau, pelo que a situação geral “é considerada boa”, indicou.

Macau recebeu, entre janeiro e outubro último, 4,6 milhões de turistas, o que representa uma diminuição significativa com forte impacto no setor do jogo. Em 2019, o território tinha registado cerca de 40 milhões de visitantes.

“À medida que Macau lança uma série das políticas e medidas para a promoção de turismo, o número de turistas poderá aumentar gradualmente, trazendo fatores indeterminados”, o que vai levar as autoridades de Segurança da região especial chinesa a adotar “de imediato as devidas medidas eficazes de prevenção e combate” do crime.