Logo após ser conhecida a morte de Vítor Oliveira, começam a surgir as primeiras reações ao desaparecime to antigo jogador e ex-treinador de futebol com várias décadas de carreira que ficou conhecido como “campeão das subidas”, pelas muitas promoções à I Liga conseguidas no segundo escalão.

A Liga anunciou já um minuto de silêncio nos próximos jogos do campeonato português, como homenagem a Vítor Oliveira.

A câmara de Matosinhos decidiu decretar dois dias de luto municipal. Numa nota publicada na rede social Facebook, a câmara de Matosinhos refere que “vai decretar luto municipal, lamentando a perda de um dos maiores nomes do desporto nacional”.

“Matosinhos jamais esquecerá o homem, o treinador, o filho da terra… Até sempre, Vítor Oliveira”, refere a autarquia, recordando que no ano passado, nas Festas do Senhor de Matosinhos, em dia de feriado municipal, homenageou Vítor Oliveira com a atribuição de medalha de mérito dourada e medalha de valor desportivo dourada, distinção honorífica decidida por unanimidade pelo Executivo

Fernando Santos: “Partiu um dos melhores amigos que fiz. Já sinto muito a tua falta”

Através de uma mensagem publicada no site da Federação Portuguesa de Futebol, o Selecionador Nacional, Fernando Santos, deixou um depoimento emocionado.

Partiu um dos meus companheiros, seguramente um dos melhores amigos que alguma vez fiz. Começámos juntos no futebol e seguimos juntos na vida. Vou sentir, já sinto, muito a tua falta nos nossos almoços, conversas e convívio”, escreveu Fernando Santos.

O Selecionador Nacional remata assim a mensagem: “Deixo aqui uma palavra à Marília e aos miúdos e despeço-me de ti com grande emoção. Adeus, companheiro”.

Toni destaca “princípios e valores” de Vítor Oliveira. “Ainda ontem falámos…”

O antigo futebolista e treinador Toni também lamentou a morte de Vítor Oliveira. Em declarações à Rádio Observador, contou: “A notícia foi-me comunicada pelo Vítor Paneira. Ainda ontem, ao gravarmos para um programa que o canal 11 vai pôr no ar, eu e o António Carraça fizemos uma entrevista no balneário do Leixões Sport Clube — balneário que o Vítor escolheu para que a conversa se desenrolasse”.

Veja o que é, estivemos desde as 17h30 até às 19h numa conversa bem animada, sobre a carreira do Vítor enquanto jogador e treinador, dos diversos clubes aos diversos presidentes e colegas que teve. Foi um documento que retrata muito da vida do Vítor. E hoje arrepiei-me todo quando soube desta notícia”, contou Toni.

Para Toni, “não é só o futebol que perde, é também a sociedade — que perde alguém que defende valores e princípios fundamentais para se ter uma sociedade sã. Quando há gente como o Vítor que nos deixa e nos deixa tão cedo, os homens do futebol naturalmente perdem uma das suas maiores referências — por aquilo que foi como jogador e treinador mas sobretudo por esses valores e sentido humanista que o Vítor sempre transmitiu. Fê-lo sempre de uma forma assertiva, frontal, direta. Falava sem rodeios das coisas que acontecem no futebol e na sociedade em geral. Por isso, é uma profunda tristeza que tenho e é essa tristeza profunda que quero partilhar com a família e com os amigos nesta hora de dor profunda que vivemos”.

Toni recorda Vítor Oliveira. “Arrepiei-me com a notícia. Estivemos juntos ontem”

Lembrando que “a grande paixão” de Vítor Oliveira “era o futebol”, Toni acha que o mais importante não é lembrar o antigo técnico como rei das subidas: “As vitórias são efémeras, tudo isso é efémero, mas os valores e princípios são para toda a vida”.

Enquanto treinador, Vítor Oliveira “deixou a sua marca” e isso atesta-se nas subidas à Primeira Liga, reconhece Toni. Mas o antigo treinador lembra que Vítor Oliveira nunca teve a oportunidade de treinar um clube da 1ª Liga no qual poderia ter um resultado semelhante aos que obteve na 2ª— o título de campeão —, como “um Benfica, um Porto, um Sporting”. Se tivesse treinado um desses clubes, “poderia ter estado mais perto de ser campeão”.

O Vítor Oliveira é mais novo do que eu sete anos. Ele tem [tinha] 67, eu 74. Ainda fomos adversários enquanto jogadores e depois fomos adversários enquanto treinadores. Ao longo destes anos todos, e são aí 40 anos à vontade, talvez mais, o que ficou foi o respeito e admiração que granjeámos um pelo outro. Sabia que ele tinha também por mim esse respeito e essa admiração e era recíproco, também o tinha pelo Vítor. O legado que o Vítor nos deixa é que o futebol e a sociedade seriam melhores se todos soubéssemos ter esses valores e princípios que o Vítor tinha”, concluiu.

Pepa: “Não, não, não… Não conheci melhor no mundo do futebol!”

O atual treinador do Paços de Ferreira, Pepa, publicou na sua conta de Facebook uma mensagem curta mas emocionada. “Por favor…….. Não não não. Não conheci melhor no mundo do futebol! Descansa em paz meu querido Vítor!”

Por favor…….. Não não não Não conheci melhor no mundo do futebol !!!!!Descansa em paz meu querido Vitor !!!!!!!

Posted by Pepa on Saturday, November 28, 2020

Luís Freire: “Morreu um dos nossos Maradonas. Até sempre rei das subidas”

O atual treinador do Nacional, Luís Freire, comentou também a morte de Vítor Oliveira. Recorrendo ao Facebook, escreveu: “Morreu um dos treinadores que mais admirei, que mais ouvi, que mais respeito tinha ,alguém que era um idolo para qualquer treinador Português, um vencedor nato,um campeão em toda a linha, alguém que emitia as suas opiniões como elas devem ser dadas, pela própria cabeça, que me gerou sempre admiração, alguém que viveu para o Futebol…”

Estou triste Mister..morreu um dos nossos…hoje morreu um dos nossos Maradonas… Descanse em paz Mister…deixou muito na Terra!! Até sempre Rei das Subidas”, conclui a mensagem.

@ Facebook

José Peseiro sobre o “amigo”: “Um grande homem e uma grande pessoa”

O treinador de futebol José Peseiro lembrou também “o treinador”, o “homem” e o “amigo” Vítor Oliveira. Em declarações à Rádio Observador, afirmou: “Deixou uma marca no futebol português como treinador. Teve o triunfo e sucesso que teve, foi o treinador com mais subidas em Portugal”.

Tinha o privilégio de ser amigo do Vítor, que era um grande homem e uma grande pessoa, tinha uma humanidade impressionante e valores bem consolidados como humano. Um homem de princípios e valores, de personalidade, amigo do amigo. Um homem que fazia amigos com facilidade, de experiência”, apontou ainda.

José Peseiro recordou ainda como foram momentos de convívio com Vítor Oliveira — “em alguns momentos almoçámos juntos, por exemplo” —, lembrando: “A forma como nos colocava perante experiências enriquecedoras, perante a sua vivência e nos transmitia… era uma pessoa de corpo inteiro”.

O antigo técnico de Sporting e Sporting de Braga vincou que o “enorme sucesso” de Vítor Oliveira não terá sido “não tão valorizado como acho que o mundo do futebol deveria ter feito, mas acho que vai fazer [agora]”. E concluiu: “Depois acompanhar isso com um comportamento e personalidade como humano e pessoa, deixa história e deixa uma marca. Deixa uma marca para todos nós, todos os treinadores, e para todas as pessoas que conviveram com ele. As vezes que estivemos juntos foram momentos excecionais. Um abraço grande para toda a família”.

Fernando Gomes: “Uma referência de topo do futebol português”

Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, reagiu em mensagem de condolências publicada no site oficial da FPF. “Foi com grande consternação que tomei conhecimento da morte completamente inesperada de Vítor Oliveira, uma das personalidades mais carismáticas do futebol nacional e uma pessoa com quem sempre tive uma relação de enorme respeito, admiração e afabilidade, apontou.

Numa carreira longa e cheia de vitórias, foi sempre, pelo seu enorme caráter, cultura desportiva e exigência, uma referência de topo do futebol português. A sua ligação aos jogadores, colegas treinadores, staff, dirigentes e clubes por onde passou – mais de quatro décadas ao serviço de quase vinte emblemas –  falam mais alto do que quaisquer palavras que aqui possa deixar”, referiu ainda Fernando Gomes.

O Presidente da FPF envia “as mais sentidas condolências” à “família enlutada” e refere que “Vítor Oliveira fará muita falta ao futebol nacional que, por sua vez, dele guardará sempre a imagem de um enorme vencedor”.

Morreu Vítor Oliveira, o rei das subidas que foi tema no The Guardian e se tornou grande sem um “grande”

Pedro Proença: “Campeão das subidas? Era campeão da liderança e do futebol”

Também o presidente da Liga, Pedro Proença, reagiu à morte de Vítor Oliveira através de uma publicação na rede social Facebook. “Esta uma notícia que não queremos receber. Não quando se trata de alguém que não está doente, que está na plenitude da sua vida e que adora, respira futebol. Ainda há dias, o nosso amigo Vítor Oliveira esteve na Liga, a dar uma aula da pós-graduação… tão bom foi ouvi-lo”, escreveu Pedro Proença, na legenda de uma fotografia em que está ao lado de Vítor Oliveira.

Dizem dele que era o campeão das subidas, e foram 11. Não era, era um campeão dos treinos, da liderança e do futebol. Que semana dura e estranha esta, que nos leva os mais queridos. O Futebol e a sociedade continuam a ficar mais pobres”, acrescentou Pedro Proença.

Esta é uma notícia que não queremos receber. Não quando se trata de alguém que não está doente, que está na plenitude da…

Posted by Pedro Proença – Presidente da Liga Portugal on Saturday, November 28, 2020

“Tudo se conjugava para ser anunciado na próxima semana como diretor-geral do Leixões”

O presidente do Leixões Sport Clube, Jorge Moreira, revelou em declarações à SportTV que estava a tentar convencer Vítor Oliveira a assumir o cargo de diretor do futebol do clube. “Tinha estado em conversações com o Vítor tentando-o convencer a abraçar o projeto do futebol profissional sendo o diretor-geral do Leixões. Estava a acreditar piamente que podia ser exequível, senti da parte do Vítor que havia essa vontade, essa abertura, em poder ajudar o clube da sua terra”.

“Tanto o André Castro, presidente da SAD, como eu, encetámos na última semana uma série de contactos com o Vítor com o intuito que assumisse esse cargo. Estive a almoçar com ele na quarta-feira”, acrescentou Jorge Moreira.

Nos últimos dias tinha falado diariamente com ele. Tudo se conjugava para que na próxima semana o Vítor Oliveira fosse anunciado como diretor-geral do Leixões Sport Clube. Estava inclinado [a aceitar], fortemente inclinado, até porque é o clube do coração. Estava muito preocupado com as relações institucionais entre clube e SAD, mas estava decidido a abraçar o nosso projeto. Aliás tenho a certeza absoluta que ia abraçar o nosso projeto”, concluiu Jorge Moreira em declarações á SportTV.

Tabata lembra o ex-treinador: “O senhor foi um dos maiores!”

Um dos primeiros a reagir foi o brasileiro Bruno Tabata, atual jogador do Sporting que trabalhou com Vítor Oliveira no Portimonense.

Na rede social Instagram, Bruno Tabata recorda o trabalho com o antigo treinador, publicando ainda uma fotografia com ele e revelando uma conversa entre os dois há dois meses. “Agradeço e me conforta ter dito ao sr. em vida há dois meses o quanto foi importante para mim! Que Portugal te guarde na sua história pois o senhor foi um dos maiores!”.

Há coisas na vida difíceis de explicar… o meu primeiro treinador em Portugal e talvez o mais importante pois me cobrava e exigia de mim coisas que só hoje posso ver o quanto foram essenciais. Que Deus o tenha e conforte o coração sua família Mister Vítor”, escreveu ainda Tabata.

@ Instagram

@ Instagram

Vasco Seabra: “O futebol perde um grande homem, uma referência para todos”

O atual treinador do Boavista, Vasco Seabra, também reagiu à morte de Vítor Oliveira descrevendo-o como “um grande homem” e “uma referência para todos”.

Na sua conta oficial na rede social Instagram, Vasco Seabra escreveu: “O futebol perde em vida um grande homem. Vitor Oliveira era obrigatoriamente uma referência para todos, não pelas 11 subidas de divisão e muitos mais sucessos e recordes, mas sobretudo pelo homem, frontal e honesto. O futebol português fica muito mais pobre. Que descanse em paz Vítor, e um forte abraço para a família e amigos”.

@ Instagram

Rafael Barbosa: “Consigo voltei a ganhar a alegria em jogar futebol”

O médio-ofensivo do Tondela, Rafael Barbosa, recordou também o trabalho com Vítor Oliveira na sua conta oficial de Instagram. “Que notícia triste, que ano este. Consigo voltei a ganhar a alegria que tinha perdido em jogar futebol, consigo consegui ser campeão nacional, consigo percebi coisas no jogo que nunca tinha sequer pensado e nunca me vou esquecer das suas últimas palavras para mim. Que perda para o futebol português, sem palavras. Descanse em paz mister”.

@ Instagram

Silas: “Obrigado mister por tudo o que nos deixou aprender consigo”

Também o antigo futebolista e atual treinador de futebol (sem clube), Jorge Silas, reagiu à morte de Vítor Oliveira. Referindo que 2020 “tem-nos levado os melhores maestros”, Silas agradeceu no Instagram a Vítor Oliveira “por tudo o que nos deixou aprender consigo”.

Clubes lembram Vítor Oliveira

Também os clubes nacionais manifestaram posições oficiais de pesar pela morte de Vítor Oliveira: do Gil Vicente ao Paços de Ferreira, do Chaves ao Leixões, dos “três grandes” — Benfica, Sporting e F. C. Porto — ao Sporting de Braga, Vitória de Guimarães, Os Belenenses e União Desportiva de Leiria, poucos foram os clubes portugueses que não lamentaram ainda a morte do antigo técnico.