Portugal criticou a proposta de um mecanismo de defesa do Estado de direito no Conselho Europeu. A notícia é avançada pelo jornal Público que escreve que nas reuniões à porta fechada a postura do representante português foi diferente da posição oficial.

O jornal cita o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros da Polónia, Witold Waszczykowski, que é desde 2019 eurodeputado, e que ao Público elogia a posição de Portugal nas reuniões à porta fechada do Conselho da UE, sobre as regras do Estado de direito — mecanismo ao qual Varsóvia se opõe.

Estado de Direito na Hungria. Governo assume em Bruxelas posição diferente de Costa

O jornal também refere que nas atas da Alemanha sobre os encontros, Portugal surge como “muito crítico” da proposta que levou a Hungria e a Polónia a vetar o orçamento comunitário.

Já o Ministério dos Negócios Estrangeiros não confirma esta situação. “O não respeito pelo Estado de Direito, sempre foi uma ‘linha vermelha’ para o Governo. O primeiro-ministro já referiu várias vezes publicamente que quem não cumpre os valores fundamentais tem de sair da UE”, assumindo apenas que Portugal manteve uma linha diplomática nas negociações.

Costa visita Orbán e defende que Estado de Direito não deve ser critério para fundos europeus