A taxa de juro de referência de Moçambique a vigorar no mês de dezembro vai manter-se em 15,9%, valor que se aplica pelo quinto mês consecutivo, anunciaram esta segunda-feira a associação de bancos e o banco central.

Desde abril, altura em que chegou a 18,4%, a taxa recuou 250 pontos base até 15,9%, valor fixado a 1 de agosto.

Comparativamente ao início do ano, a prime rate apresentou uma diminuição de 210 pontos base.

O Comité de Política Monetária (CPMO) do Banco de Moçambique já tinha decidido no final de outubro manter a taxa de juro de política monetária, (taxa MIMO) em 10,25%, sendo que esta taxa é um dos principais componentes de cálculo da prime rate.

A decisão foi justificada com o “agravamento dos riscos e incertezas, num contexto em que as perspetivas de médio prazo apontam para uma tendência de aumento de preços em 2021″, referiu.

A criação da prime rate com um valor inicial de 27,75% foi acordada entre o banco central e a Associação Moçambicana de Bancos (AMB) em junho de 2017 para eliminar a proliferação de taxas de referência no custo do dinheiro.

O objetivo é que todas as operações de crédito sejam baseadas numa taxa única, “acrescida de uma margem (spread), que será adicionada ou subtraída à prime rate mediante a análise de risco” de cada contrato, explicam os promotores.