A indústria automóvel e, sobretudo, a gasolineira, apostavam que a Tesla não iria conseguir produzir um camião eléctrico capaz de concorrer com um modelo diesel, pelo peso e volume que as baterias requereriam para garantir a autonomia necessária. Por outro lado, os motores eléctricos são muito mais eficientes, aproveitando 95% da energia, ao passo que um motor a gasóleo dificilmente ultrapassa os 45%, sendo ainda assim mais eficiente do que uma unidade a gasolina.

Numa conversa recente que mantivemos com um responsável pela BP, a dúvida dos produtores de combustíveis derivados do petróleo, que agora estão a realizar a mudança para empresas de energia, prende-se com outro pormenor, que não se pode desprezar. Não só um camião facilmente encontra espaço para alojar depósitos de 600 litros de gasóleo ou mais, como um litro tem a energia equivalente a 10 kWh e uma bateria com 6000 kWh é quase inviável, em termos de custos e peso. Porém, nessa mesma troca de ideias com a BP, o engenheiro com que falámos admitiu que a Tesla já os tinha surpreendido no passado, o que poderia voltar a acontecer.

Gigafactory de Austin vai fabricar a Cybertruck e o Semi

E aconteceu. Através do seu CEO, Elon Musk, o construtor norte-americano de veículos eléctricos anunciou que o Semi está pronto a ser fabricado, assim que a nova Gigafactory Texas estiver terminada, o que deverá acontecer na primeira metade de 2021. Certamente já a contar com as novas células 4680, Musk anunciou que o Semi será capaz de uma autonomia de 1000 km, sem ultrapassar o peso de um camião tradicional a gasóleo. De recordar que, quando foi apresentado, o Semi prometia versões até 800 km entre recargas.

Nada disto implica que os veículos pesados alimentados por células de combustível a hidrogénio, que são tão eléctricos quanto os que armazenam energia em acumuladores, não tenham igualmente um grande potencial e o seu lugar como uma solução de futuro. A decisão vai ter a ver com a evolução de ambas as tecnologias (baterias versus células de combustível). Sendo que, de momento, as primeiras estão à frente em termos de eficiência e custos. Mas não necessariamente para sempre.

Mercedes admite: “Se o Tesla Semi andar, nós falhámos”

Quem vai ter de continuar a sonhar com um desaire do Semi da Tesla é a Mercedes, que em tempos afirmou que se “o Semi andar, a Mercedes falhou”. E a situação parece estar cada vez mais complicada para o construtor alemão…