Portugal recebeu esta terça-feira uma tranche de três mil milhões de euros de fundos europeus, no âmbito do programa SURE, para ajudar vários setores face à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, anunciou esta manhã o primeiro-ministro.

“Recebemos hoje [01 de dezembro] a primeira tranche do empréstimo atribuído a Portugal no âmbito do SURE, programa europeu que apoia os Estados Membros no seu esforço de proteção dos trabalhadores e empresas. Saúdo fortemente a transferência destes 3.000 milhões de euros de fundos europeus”, escreveu António Costa numa mensagem publicada na rede social Twitter.

“Estes fundos europeus vão financiar medidas como o layoff, os apoios a trabalhadores independentes, os apoios aos país e o prémio aos trabalhadores do SNS“, sublinhou Costa. Segundo o primeiro-ministro, “o SURE reflete a solidariedade da UE e a sua pronta resposta à crise”, o que permite “continuar a proteger os postos de trabalho e os trabalhadores mais afetados”. “Continuamos determinados na luta contra a pandemia e na mitigação dos seus efeitos sociais e económicos”, referiu ainda António Costa.

O ministro das Finanças, João Leão, tinha assinado no dia 27 de outubro o contrato de empréstimo para o programa SURE, para apoio ao emprego, no montante de 5,9 mil milhões de euros. Em 15 de outubro, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse que Portugal iria receber “em breve” esse montante ao abrigo do programa europeu SURE.

O Ministério das Finanças já tinha referido que este é “o instrumento europeu de apoio temporário para atenuar os riscos de desemprego numa situação de emergência“, que irá “permitir o financiamento de medidas de apoio à manutenção dos contratos de trabalho e outra despesa relativa à saúde no trabalho, no âmbito da resposta à crise provocada pela pandemia da covid-19”.