O mercado europeu continua no limbo, pelo menos no que respeita ao fornecimento de veículos da Tesla. A fábrica da Califórnia não tem capacidade de produção para dispensar mais do que uma média de 5000 veículos a cada dois meses, o que equivale a um navio completo. Só que isso não permite responder à totalidade da procura. Daí que o construtor americano registe bons meses de vendas, seguidos de outros em que praticamente fica a zero.

Face ao incremento da apetência por veículos eléctricos nos mercados norte-americano e canadiano, a solução para este problema apenas vai surgir em meados de 2021, quando a Gigafactory Berlim começar a produzir Model 3 e Model Y, sendo que o SUV apenas será lançado no Velho Continente quando começar a ser construído na Alemanha.

Até lá, a solução encontrada pela Tesla passa por manter um barco a cada dois meses vindo da fábrica de Fremont, na Califórnia, com apenas as versões Long Range e Performance do Model 3. Enquanto isso, os Model 3 Standard Range são expedidos da Gigafactory Xangai.

Sucede que, em Dezembro – os navios atracaram nos últimos dias de Novembro, mas apenas vão chegar aos clientes europeus no início deste mês –, vão coincidir no porto belga de Zeebrugge um barco vindo dos EUA e outro da China. Ambas as viagens são longas, nunca menos de um mês.

A 26 de Novembro, o Toscana, vindo da China, e o Grand Aurora, que zarpou de São Francisco, começaram ambos a descarregar veículos na Bélgica. Segundo algumas fontes ligadas ao processo, chegará um segundo navio vindo da Gigafactory Xangai ainda no início de Dezembro.