Especialistas, dirigentes dos partidos políticos e parceiros sociais voltam a reunir-se esta quinta-feira para analisar a situação epidemiológica da Covid-19, em vésperas de nova renovação do estado de emergência e da decisão sobre as medidas para o Natal.

Segundo informação adiantada à agência Lusa por fonte do gabinete do primeiro-ministro, António Costa, para esta reunião, que decorrerá como habitualmente no Infarmed, em Lisboa, foram ainda convocados a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), a Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE) e o Patriarcado de Lisboa.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o primeiro-ministro, António Costa e o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, juntam-se assim aos representantes dos partidos com assento parlamentar e aos parceiros sociais para ouvir e questionar os especialistas, participando habitualmente nestas reuniões os conselheiros de estado por videoconferência.

O novo formato das reuniões consistiu numa primeira parte com apresentações técnicas por parte dos especialistas, aberta à comunicação social, e uma segunda fase de perguntas.

Esta sessão de apresentação sobre a situação epidemiológica da Covid-19 em Portugal decorre durante a manhã, no mesmo dia e local em que será apresentado o plano de vacinação.

Na terça-feira, em entrevista ao Observador, António Costa adiantou que no sábado anunciará as medidas para o Natal “com as melhores condições possíveis”, mas avisou desde já que “a passagem do ano vai ter todas as restrições”.

O Governo propôs ao Presidente da República, e o senhor Presidente da República aceitou que desta vez, quando anunciarmos a renovação do estado de emergência, possamos anunciar não só as medidas para a próxima quinzena como as medidas para a quinzena seguinte, ou seja, até 6, 7 de janeiro”.

A última reunião deste estilo realizou-se no dia 19 de novembro, tendo então Marcelo Rebelo de Sousa considerado que deveria haver sucessivas renovações do estado de emergência, “aquelas que forem necessárias”, para se “esmagar a curva” da evolução da doença em Portugal.

Nessa última sessão, de acordo com informação divulgada então pelo PS, o primeiro-ministro propôs que estas reuniões entre especialistas e políticos voltem a realizar-se com regularidade.

Portugal está em estado de emergência desde 9 de novembro e até 8 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado do novo coronavírus, que provoca a doença da Covid-19.

Até ao final da semana, o Presidente da República deverá decretar a renovação do estado de emergência, o que só pode acontecer depois de um parecer favorável do Governo e da aprovação pelo parlamento, que deverá acontecer na sexta-feira à tarde, estando o debate marcado para essa tarde.

Portugal contabiliza pelo menos 4.645 mortos associados à Covid-19 em 303.846 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).