A editora de banda desenhada Ala dos Livros criou um prémio literário de homenagem ao argumentista Jorge Magalhães, “que sempre apoiou novos autores” e morreu em 2018, disse à agência Lusa o editor Ricardo Pereira.

O Prémio de Argumento para Banda Desenhada Jorge Magalhães será lançado em 2021, terá periodicidade anual e pretende reconhecer o trabalho de autores portugueses que escrevem para BD e cuja obra tenha sido editada no ano anterior ao prémio, no mercado português ou estrangeiro.

É um prémio de reconhecimento para quem escreve; o argumento é sempre o parente menor quando se fala em prémios e reconhecimentos. E ao mesmo tempo é uma homenagem à atividade do nosso avô”, afirmou Ricardo Pereira, editor e neto de Jorge Magalhães.

Segundo Ricardo Pereira, não está descartada a hipótese de o prémio ser monetário, mas dependerá de possíveis parcerias, ainda em negociações.

A intenção da editora é anunciar o regulamento nos próximos meses, revelar os nomeados em março e divulgar o premiado em dezembro, assinalando a data da morte de Jorge Magalhães, aos 80 anos, a 01 de dezembro de 2018.

Já tínhamos ficado com a ideia de criar este prémio, e éramos para ter colocado a ideia em marcha este ano, mas não foi possível” por causa da pandemia da Covid-19, referiu Ricardo Pereira.

A Ala dos Livros, que iniciou atividade em 2018, é um projeto editorial de dois netos de Jorge Magalhães, dando continuidade, assim, a uma tradição familiar – sem esquecer a editora Maria José Pereira, filha do argumentista – ligada à produção e edição de banda desenhada em Portugal.

Do catálogo da editora fazem parte nomes como Hugo Pratt, Hermann, Alberto Varanda e Luís Louro, o único autor português representado.

Jorge Magalhães foi tradutor, escritor e coordenador editorial de banda desenhada em publicações em Portugal e em Angola, onde viveu mais de uma década.

Nos anos 1970 coordenou a revista Mundo de Aventuras e foi um dos fundadores do Clube Português de Banda Desenhada. Mais tarde passou pelas revistas Seleções BD e Heróis Inesquecíveis e foi coordenador editorial da editora Futura.

Colaborou com nomes como Augusto Trigo, José Ruy, Batista Mendes, mas foi sobretudo com o primeiro que teve mais visibilidade. Nos anos 1980 e 1990 venceu várias vezes o Troféu “O Mosquito”, de melhor argumentista e recebeu o prémio de honra “Zé Pacóvio e Grilinho”, do Festival AmadoraBD.

A Ala dos Livros iniciou este ano a “Coleção JM”, com o lançamento do volume “Estórias da História”, que reúne contos de Jorge Magalhães, com desenho de Augusto Trigo.