A pandemia de covid-19 já provocou, pelo menos, 66.498.750 casos de infeção e 1.529.324 mortes a nível mundial, segundo um balanço da Agência France Press (AFP).

Conforme ressalvou a agência noticiosa, os números hoje contabilizados refletem apenas uma parte do número real de infeções, tendo em conta que alguns países apenas testam os casos graves e outros têm uma capacidade limitada de testagem.

No sábado, foram contabilizados mais 10.674 óbitos e 652.466 novos casos de infeção em todo o mundo.

Segundo os últimos dados disponíveis, os países que registaram o maior número de óbitos foram os Estados Unidos (2.527), Brasil (664) e Itália (662).

No total, os Estados Unidos somam 14.584.706 casos e 281.206 mortes, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Pelo menos, 5.576.026 pessoas já foram consideradas curadas.

Depois dos EUA, os países mais afetados são o Brasil, com 176.628 mortes e 6.577.177 casos, a Índia, com 140.182 óbitos e 9.664.222 casos, o México, com 109.456 mortes e 1.168.395 casos e o Reino Unido com 61.014 óbitos e 1.705.971 casos.

Entre os países mais atingidos, a Bélgica é o que apresenta o maior número de mortes face à população total, com 149 óbitos por 100 mil habitantes, seguido pelo Peru (110), Espanha (99) e Itália (98).

Por sua vez, a China, excluindo Hong Kong e Macau, contabilizou 86.619 casos de infeção, mais 18 entre sábado e domingo, 4.634 mortes e 81.706 recuperados.

A América Latina e as Caraíbas tiveram um total de 457.911 mortes, até às 11:00 de hoje, e 13.452.163 casos de infeção.

Segue-se a Europa, com 442.191 mortes e 19.585.889 casos, os EUA e o Canadá, com 293.789 mortes e 14.991.542 casos, a Ásia, com 199.482 mortes e 12.705.883 casos, o Médio Oriente, com 81.445 mortes e 3.480.566 casos, África, com 53.564 mortes e 2.252.289 casos e a Oceânia, com 942 mortes e 30.418 casos.

Portugal contabiliza pelo menos 4.876 mortos associados à covid-19 em 318.640 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado no sábado.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.