Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A maioria dos idosos que vivem em lares não poderão celebrar o Natal em família devido ao risco de contraírem a infeção pelo novo coronavírus e transmitirem-na aos restantes utentes e funcionários, até porque as estruturas residenciais não têm depois como colocar os utentes de quarentena.

A notícia é avançada esta segunda-feira pelo jornal Público. Para o presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS), o padre Lino Maia, não há condições para os idosos irem passar o Natal com a família, porque os lares não têm infraestruturas para que eles fiquem em isolamento nos 14 dias seguintes.

Também o presidente da União das Misericórdias Portuguesas sublinha que o número de utentes a ir passar o Natal com a família vai depender de quantos quartos de isolamento cada lar tiver: “Se só houver um quarto de isolamento, só pode ir um utente, se existirem três podem ir três utentes“, afirmou Manuel Lemos.

Já João Ferreira de Almeida, presidente da Associação de Lares e Casas de Repouso de Idosos, refere que as indicações gerais são para os idosos saiam dos lares apenas em situações excecionais, pelo que aguarda por orientações da Direção-Geral da Saúde (DGS). A DGS, contudo, já fez saber ao Público que não irá criar uma orientação específica para o Natal no que diz respeito às estruturas residenciais para os idosos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR