Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Audi anunciou que iniciou a produção do seu segundo modelo eléctrico e o primeiro a ser construído na Alemanha. Se o SUV e-tron e o e-tron Sportback são fabricados na Bélgica, sobre a plataforma MLB evo, uma solução adaptada a partir de uma base que surgiu para motores a combustão, o novo e-tron GT usufrui de uma plataforma específica para veículos eléctricos, a J1, a mesma utilizada pelo Porsche Taycan. Esta plataforma, curiosamente, está associada a uma forte controvérsia entre a Audi e a Porsche, em que o então CEO da primeira teceu graves acusações ao trabalho dos técnicos da segunda, como pode ver aqui.

O novo e-tron GT é uma berlina esguia e desportiva, um pouco à semelhança do Taycan, mas mais volumosa e menos baixa, de forma a melhorar o espaço interior e facilitar o acesso. Em tudo o resto, a tecnologia é a mesma, com o sistema de 800V que, tudo indica, foi adquirido à Rimac, bem como a transmissão de duas velocidades, que também tem origem croata. Resta saber se a Audi consegue ir um pouco mais longe em matéria de autonomia, uma vez que a do Taycan deixa muito a desejar.

22 fotos

O e-tron GT será fabricado na Alemanha, mais especificamente na fábrica de Böllinger Höfe, nas instalações da Audi Sport especializada em chassis de alumínio, onde até aqui nascia o R8 e alguns híbridos plug-in da marca, segundo Helmut Stettner, o director das instalações. Esta linha de produção foi recentemente alvo de modificações, tendo em vista atingir a neutralidade carbónica.

Com os Audi e-tron GT a saírem já da linha de montagem, resta aguardar pela divulgação das especificações do modelo, em termos de versões, potências, capacidades das baterias e autonomias, bem como os preços. Uns e outros deverão ser revelados mais próximo do início da comercialização, algures durante a Primavera de 2021.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR