O primeiro satélite das Honduras vai ser enviado para o espaço pelo Gabinete das Nações Unidas para os Assuntos Espaciais Exteriores e pela Agência de Exploração Aeroespacial do Japão, informou esta sexta-feira o Sistema de Integração Centro-americana (SICA).

O projeto Morazán venceu a quinta edição do programa mundial KiboCUBE, que permitirá o lançamento do satélite no espaço a partir da Estação Espacial Internacional, em data ainda não divulgada. A iniciativa é da Universidade Nacional Autónoma das Honduras (Unah), com o apoio da Universidade de San Carlos, da Guatemala, da Universidade da Costa Rica e do Colégio Federado de Engenheiros e Arquitetos da Costa Rica, com o apoio da Secretaria Geral do SICA.

O projeto Morazán é um satélite de 1,4 quilogramas de peso, em formato de cubo, com vista ao “desenvolvimento de capacidades e demonstração tecnológica”, explicou o SICA, em comunicado.

O programa KiboCUBE oferece aos países em desenvolvimento “a oportunidade de enviar um satélite cubo” do módulo experimental japonês “Kibo” da Estação Espacial Internacional. Contribui também para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para melhorar a tecnologia espacial nos países em desenvolvimento.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No início de novembro, os países da América Central foram atingidos pelo furacão Eta e, duas semanas mais tarde, pelo Iota, que provocou danos em infraestruturas e culturas. Colocar o satélite em órbita é “fundamental devido ao tipo e quantidade de informação que irá gerar para a tomada de decisões atempadas, com vista à gestão do risco de desastres e à proteção dos recursos naturais” na região da América Central, sublinha o SICA.

Morazán é o primeiro satélite nas Honduras e o terceiro desenvolvido na América Central. A Costa Rica promoveu o projeto Irazú, que lançou o satélite Batsú CS-1 para o espaço em meados de 2018. Em março de 2020, a agência japonesa lançou o satélite guatemalteco Quetzal, desenvolvido pela Universidad del Valle, da Guatemala.