Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há quatro temporadas consecutivas que o FC Porto garante o apuramento para os oitavos de final da Taça de Portugal. Ou seja, e numa cronologia alternativa, desde que Sérgio Conceição chegou ao Dragão que o FC Porto não falha, pelo menos, os oitavos de final da Taça de Portugal. A vitória deste domingo, frente ao Tondela, garantiu ainda o 12.º resultado positivo dos dragões em casa para a segunda competição nacional: a última vez que perderam no Dragão para a Taça foi em outubro de 2014, há mais de seis anos, contra o Sporting.

A habitual sequela “comme ci comme ça” do filme que foi êxito de bilheteira (a crónica do FC Porto-Tondela)

Marega, que fez o segundo golo do FC Porto, aproximou-se de Sérgio Oliveira na lista dos melhores marcadores da equipa de Sérgio Conceição esta época (tem agora menos um, seis contra sete) e ainda marcou o golo da vitória dos dragões pela nona vez desde que chegou ao clube. Mais do que isso, o remate de Marega depois de uma assistência de Otávio ainda na primeira parte foi o 66.º golo do avançado pelo FC Porto: um número que o coloca agora lado a lado com Teófilo Cubillas, histórico peruano que passou no clube nos anos 70.

Na flash interview, contudo, Sérgio Conceição reconheceu que não gostou dos dois jogos que a equipa fez contra o Tondela, no passado sábado para a Primeira Liga e este domingo para a Taça de Portugal. “Os jogos são todos diferentes. Se gostei muito dos dois? Não gostei. Fizemos o suficiente nos dois para acabar com mais quatro golos no outro jogo e hoje mais dois. Gostei da primeira parte, criámos várias ocasiões para aumentar a vantagem. Numa transição do adversário — e aí, a culpa é minha, fui eu que dei a indicação, tínhamos 7 jogadores na área –, eles fizeram o golo. Iniciámos bem a segunda parte, podíamos ter feito o 3-1. Na última meia-hora não houve grande perigo, tirando um lance do avançado do Tondela, que cabeceia. Não houve grande perigo de parte a parte mas o resultado é justíssimo. Passámos e, é importante referi-lo, estamos em todas as frentes. Estamos contentes por isso e os jogadores estão de parabéns”, atirou o treinador português, acrescentando que “faltou aqui e acolá uma melhor definição no último terço” até porque “jogadores que normalmente são bons a definir não conseguiram o último drible”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Estou satisfeito com o plantel. Demos uma demonstração disso mesmo, com força e a mostrar que todos os jogadores contam. O jogo da Champions mostrou-o. O mais importante é a equipa e a equipa tem tido um excelente comportamento no trabalho diário e isso depois vê-se nos jogos”, concluiu Sérgio Conceição, quando questionado sobre os bons números da dupla formada por Marega e Taremi numa equipa que ainda tem como opções outros dois avançados do mesmo tipo, Toni Martínez e Evanilson.

Já Taremi, que marcou pelo terceiro jogo consecutivo no Dragão, reconheceu que a equipa poderia ter marcado mais golos mas explicou que o “importante” foi a vitória. “O FC Porto é um clube grande e adoro estar aqui. Estou muito feliz, estou focado em ajudar a equipa e vou fazê-lo, melhorando dia após dia. Sistema tático preferido? Esta é a escolha do treinador. Jogo onde ele quiser e acho que posso fazer melhor do que neste jogo. Fazer golos é o meu trabalho. A primeira coisa é ganhar o jogo para o FC Porto. A ambição é essa primeiro. Se puder marcar, é muito bom para mim”, terminou o iraniano de 28 anos que trocou este verão o Rio Ave pelos dragões.