Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A linha de produção da fábrica de Fremont da Tesla, na Califórnia, de onde saem os Model S e Model X, vai interromper a laboração entre 24 de Dezembro e 11 de Janeiro. A medida foi anunciada pela marca norte-americana e, ao não ser acompanhada pelo motivo, deu azo a que se suspeitasse de uma paragem da linha para permitir a introdução de algumas alterações estéticas.

Ao contrário dos restantes fabricantes, a Tesla não tem por hábito anunciar os tradicionais restylings, ou reforços do nível de equipamento. Introduz modificações e melhorias sempre que elas estão disponíveis, mas sempre sem anúncios públicos formais, limitando a informação aos clientes dos veículos envolvidos, que assim podem realizar as actualizações de software over-the-air. Mesmo quando se trata de alterações físicas, como a introdução da bomba de calor no Model 3, ou da sua nova consola central, tudo decorre sem anúncios e sem coincidir com a introdução da mudança do ano.

Sabe-se que 2021 vai ser o ano em que a Tesla vai lançar no mercado a versão Plaid do Model S, com mais de 1000 cv e uma autonomia de 1000 km, que deverá beneficiar de algumas alterações estéticas, algumas das quais para alojar vias mais largas e usufruir de maior apoio aerodinâmico. Daí que se espere que algumas dessas modificações possam igualmente beneficiar as versões mais simples dos Model S e X. A paragem da linha de produção, agendada para o final do ano, poderá estar ligada à necessidade de introduzir estas alterações.

De recordar que a base do Model S data de 2012 e o único restyling foi introduzido em 2016, com alterações ao nível da frente, que perdeu a “falsa” grelha. Chegou a circular na imprensa americana a possibilidade de a Tesla pretender “refrescar” o design do habitáculo em 2019, o que não viria a verificar-se, pelo que é possível que seja durante esta paragem de 18 dias que estas modificações se materializem.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR