Uma mulher de mais de 90 anos foi esta quarta-feira 23 de dezembro, a primeira pessoa a ser vacinada contra a Covid-19 na Suíça, o primeiro país da Europa continental a iniciar a campanha de vacinação contra o novo coronavírus.

A mulher, residente num estabelecimento medicalizado para pessoas idosas, recebeu a vacina da Pfizer/BioNTech, anunciaram as autoridades em comunicado.

A campanha de vacinação começa apenas quatro dias após a autorização da vacina pelas autoridades suíças e num momento em que o país regista mais de 4.000 novas contaminações e mais de cem mortos por dia.

No total, o país já registou mais de 415.000 casos de contaminação e mais de 6.300 mortos desde o início da pandemia.

Trata-se da primeira campanha de vacinação contra a Covid-19 na Europa continental, depois de o Reino Unido ter começado a vacinar em 8 de dezembro, tornando-se o primeiro país ocidental a fazê-lo.

A Suíça, com 8,6 milhões de habitantes, garantiu o acesso a 15,8 milhões de doses de vacinas, negociadas com três laboratórios: três milhões com a Pfizer-BioNTech, 7,5 milhões com a Moderna e 5,3 milhões com a AstraZeneca.

Todas as vacinas requerem duas doses por paciente.

As primeiras 107.000 doses da vacina da Pfizer/BioNTech foram entregues à Suíça na terça-feira e distribuídas pelos cantões pelo exército.

A vacinação, gratuita e voluntária no país, começa pelas pessoas vulneráveis e deverá estender-se por vários meses.

Na União Europeia, a vacinação começa no domingo, 27 de dezembro, após a Agência Europeia do Medicamento (EMA) ter aprovado na segunda-feira a utilização da vacina da Pfizer-BionNTech contra a covid-19.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.718.209 mortos resultantes de mais de 77,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 6.254 pessoas dos 378.656 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.