A economia espanhola registou um crescimento de 16,4% no terceiro trimestre do ano em relação ao anterior e uma queda de 9% comparado com um ano antes, segundo o Instituto Nacional de Estatísticas (INE) do país.

No terceiro trimestre de 2020, o Produto Interno Bruto (PIB) recuperou após a queda histórica registada no segundo trimestre (-21,6% em termos anuais), em que uma grande parte da economia foi paralisada pelo confinamento em vigor para travar a pandemia da Covid-19.

Contudo, a economia espanhola ainda está longe de recuperar ao seu nível anterior à crise, uma vez que o PIB caiu 9% em relação ao nível em que estava um ano antes.

Por outro lado, o emprego na economia, em termos de horas trabalhadas, cresceu 24,7% do segundo para o terceiro trimestre, uma taxa que cai para 16% quando medido em termos de empregos equivalentes a tempo inteiro.

O crescimento no terceiro trimestre é explicado pela forte recuperação da procura interna, que contribuiu com 15,6 pontos para o crescimento, com um aumento de 20,8% no consumo interno e 42,6% no investimento empresarial.

A procura externa contribuiu com 0,8 pontos para o avanço trimestral, com um aumento de 29,9% nas exportações e de 27% nas importações.

Do lado da oferta, todas as atividades registaram progressos, exceto a agricultura, que caiu 1,2% depois de ter sido a única atividade económica que manteve o crescimento durante os piores momentos da crise.

A indústria espanhola cresceu 26,2%, a construção civil 22,5% e os serviços 14,9%, com um crescimento de 43,2% no comércio, transportes e hotelaria.