O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, pediu esta quarta-feira à Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) a abertura de um inquérito sobre o tiroteio de terça-feira no Seixal, que causou um morto e deixou feridos dois militares da GNR.

Numa nota do Ministério, Eduardo Cabrita vincou a necessidade de “apuramento dos factos e de eventuais responsabilidades” e desejou também “uma rápida e plena recuperação aos dois militares da GNR feridos nesta operação”.

Segundo um comunicado divulgado na terça-feira da GNR, na sequência do cumprimento de um mandado de detenção, dois militares daquela força policial abordaram o suspeito, que se encontrava “acompanhado por uma mulher, tendo este reagido e disparado contra um dos militares, seguindo-se uma troca de tiros”, destaca a nota.

Um morto e três feridos em troca de tiros no Seixal. Militares da GNR entre as vítimas

“Desta situação, ambos os militares, bem como a mulher, ficaram feridos, estando a ser prestada a assistência médica”, pode ler-se.

A GNR revelou ainda que o suspeito acabou por morrer no local e que foi ainda detido um homem por resistência e coação.

De acordo com a GNR, a Polícia Judiciária foi chamada ao local.