Algumas localidades da freguesia da Ponta Delgada, concelho de São Vicente, na costa norte da Madeira, continuam este sábado isoladas devido ao temporal que afetou a região no dia de Natal, decorrendo agora trabalhos de limpeza das estradas.

“As zonas isoladas são as Lombadas, na parte mais alta da freguesia da Ponta Delgada, e também a ligação entre Ponta Delgada e Boaventura, neste momento, só é possível fazer de 4×4”, disse à agência Lusa o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, José António Garcês. O autarca está a acompanhar as operações no terreno, numa altura em que a chuva perdeu a intensidade, embora o Serviço Regional de Proteção Civil mantenha em vigor o aviso amarelo para precipitação na costa norte da Madeira até às 18:00 de hoje.

A tempestade fez com que 27 pessoas fossem retiradas das suas casas por motivos de segurança, mas as habitações não sofreram danos significativos, além de inundações.

“Logo que haja condições de segurança e que seja efetuada a limpeza, as pessoas regressam às suas casas, porque neste momento estão em casa de familiares ou amigos”, disse José António Garcês, vincando que se trata de 20 moradores de Ponta Delgada e sete de Boaventura, freguesias que, juntamente com a de São Vicente, constituem o concelho nortenho.

Embora não seja ainda possível traçar um balanço final dos estragos, o autarca aponta para vários danos em infraestruturas públicas, nomeadamente na estrada de acesso às Lombadas e no cemitério de Ponta Delgada, no centro da freguesia, que ficou totalmente alagado.

“O pessoal esteve a trabalhar durante o dia de ontem [sexta-feira], a noite toda, a madrugada, e hoje de manhã já retomou os trabalhos e obviamente são trabalhos de limpeza, para depois podermos fazer a avaliação de todo o prejuízo”, disse. E reforçou: “Vamos rapidamente tentar repor a normalidade nestas vias principais, para depois avançarmos para as vias secundárias”. As operações de limpeza estão a cargo da Câmara Municipal de São Vicente e das freguesias de Ponta Delgada e Boaventura, envolvendo também empresas de construção civil que foram contratadas para o efeito, com maquinaria pesada.

Embarcações devem ficar nos portos

A capitania do Porto do Funchal prolongou o aviso de vento forte para o mar da Madeira até às 06:00 de domingo, recomendando que as embarcações permaneçam nos portos de abrigo.

“Recomenda-se que os proprietários ou armadores das embarcações tomem as devidas precauções para que estas permaneçam nos portos de abrigo”, pode ler-se na nota divulgada pela autoridade marítima regional que tem por base as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera. Estas previsões relacionadas com a situação geral do estado do tempo (vento e mar) para a orla marítima no arquipélago apontam para Leste/Nordeste “muito fresco a forte, diminuindo para fresco a muito fresco a partir do final do dia”.

Quanto à visibilidade, refere que é “boa a moderada, temporariamente fraca”. A ondulação na costa norte é de Nordeste com ondas entre os 2,5 metros e os 3,5 metros, sendo até 2,5 metros na parte sul da ilha. O aviso inicial emitido pela capitania alertava para estas condições até às 18:00 de hoje.

De acordo com a página da Aeroportos da Madeira, o movimento de aterragens e descolagens na Madeira está a decorrer com normalidade.

O IPMA também colocou a costa norte da Madeira sob aviso amarelo até às 18:00 de hoje devido às previsões de períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes, e acompanhados de trovoada. Na sexta-feira, estas condições atmosféricas adversas afetaram sobretudo as freguesias de Ponta Delgada e Boaventura, no concelho de São Vicente, no norte da ilha da Madeira.