O filme foi ao contrário da estreia mas terminou exatamente da mesma forma. Mais do que uma derrota, os Golden State Warriors sofreram o segundo “atropelo” da época, com a diferença de verem a diferença escalar só depois do intervalo quando no primeiro desaire as distâncias para os Brooklyn Nets tinham sido cavadas nos dois quartos iniciais. No final do encontro frente aos Milwaukee Bucks, Steve Kerr, que não contará por algum tempo com Klay Thompson e tem ainda Daymond Green de fora, assumiu que alguma coisa terá de mudar. Stephen Curry, grande referência da equipa que também falhou grande parte da última temporada devido a uma fratura na mão, admite o mesmo. Ainda assim, e no meio do insucesso, o atirador conseguiu mais um feito histórico na equipa.

Kevin Durant voltou e deu uma resposta dentro de campo (mas é da resposta fora dele que se fala)

Apesar de ter marcado “apenas” 19 pontos depois dos 20 no jogo inaugural (e mesmo assim foi o melhor marcador da equipa frente aos Bucks, com mais um do que James Wiseman), Curry tornou-se o segundo melhor marcador da história dos Warriors, superando Rick Parry e ficando agora apenas atrás do mítico Wilt Chamberlain, ainda hoje dono de um recorde “impossível” de bater – marcar 100 pontos num só encontro. A diferença não é propriamente grande (17.783-16.459) e, sem lesões nem trocas, o base atirador irá chegar ao topo da hierarquia. Mas isso será no futuro; agora, no presente, há aspetos bem mais importantes para tentar contornar.

“Tivemos um jogo demasiado espalhado e desorganizado. Estou muito desapontado com isso e temos de assumir a culpa por ter sido assim”, admitiu no final do encontro o técnico da equipa, Steve Kerr. “Não esperávamos que fosse tão difícil logo no arranque mas sabíamos que ia ser um longo processo”, assumiu Curry.

E esse longo processo teve mais uma pesada derrota, que depois dos 26 dos Nets chegou aos 39 pontos frente aos Bucks, algo que não se esperava por ter dez pontos de atraso ao intervalo (66-56). Giannis Antetokounmpo, que no primeiro desaire do ano diante dos Boston Celtics (122-121) ficou demasiado condicionado pela sucessão de faltas ofensivas, terminou o jogo com um duplo-duplo de 15 pontos e 13 ressaltos, mas a grande figura da formação de Milwaukee foi Khris Middleton, com 31 pontos que lhe valeram o registo estatístico de ser apenas o segundo jogador dos Bucks a fazer 30 ou mais pontos em dois Natais consecutivos depois de… Kareem Abdul-Jabbar. Mais: os 39 pontos de diferença foram a segunda maior vantagem de sempre em jogos da NBA realizados no dia 25 de dezembro (uma tradição), apenas superados pelos 62 com que os Nationals bateram os Knicks em…1960.