Que 2020 foi um ano atípico e difícil não restam grandes dúvidas. Talvez por isso a passagem entre dois anos (2020 e 2021) seja, agora, ainda mais simbólica. E como no momento de celebrar a chegada da icónica meia-noite o espumante fala mais alto, pedimos a quatro pessoas na indústria do vinho para escolherem espumantes dignos de acompanhar a ocasião — as sugestões vão dos 11,79 aos 95 euros, refletem o que se faz em diferentes regiões do país e vêm todas acompanhadas de uma boa justificação.

Luís Lopes

Crítico de vinho e diretor da publicação “Vinho – Grandes Escolhas”

Nome do vinho: Vértice Cuvée branco
Região: Douro
Produtor: Caves Transmontanas
Preço: 13,50 euros
Castas: Gouveio, Malvasia Fina, Rabigato, Viosinho, Códega e Touriga Franca
Porque é que é bom: “O segredo deste espumante está no lote: lote de castas (brancas e tintas) e lote de colheitas, misturando vários anos para apresentar sempre um grande equilíbrio de aromas e sabores. A espuma delicada, as notas de alperce e biscoito, a excelente acidez, tudo no sítio certo. É a melhor relação qualidade/preço do mercado, perfeito para as entradas…e para as saídas.”

Nome do vinho: Murganheira Millésime branco 2008
Região: Távora-Varosa
Produtor: Caves Murganheira
Preço: 21 euros
Castas: Pinot Noir e Chardonnay
Porque é que é bom: “Porque é feito de Pinot Noir e Chardonnay e não vale a pena inventar o que já foi inventado; porque a Murganheira sabe-a toda; porque o tempo, esse grande artífice, o foi moldando, afinando, polindo, até cume da complexidade, delicadeza e sofisticação; porque tudo o que fizermos de bom na cozinha resulta ainda melhor com este espumante ao lado.”

Nome do vinho: Quinta das Bágeiras Grande Reserva rosé 2015
Região: Bairrada
Produtor: Mário Sérgio Alves Nuno, Quinta das Bágeiras
Preço: 40 euros
Castas: Baga
Porque é que é bom:  “O primeiro espumante da nova categoria Baga-Bairrada feito por Mário Sérgio Nuno tinha de ser marcante e sem dúvida que o é. Um rosé requintado, mas ao mesmo tempo austero, sério, bem dentro do estilo da casa. A frescura frutada é enorme e potencia o sabor, seco e interminável. Não é vinho para conversa mole: o seu lugar é à mesa, e com pratos de sabor intenso, do salmão ao leitão.”

Manuel Moreira

Sommelier, wine educator e consultor

Nome do vinho: Sílica Super Reserva Bruto “blanc de noir” N/V
Região: Bairrada
Produtor: Raul Riba D’Ave
Preço: 11,79 euros (dado pelo distribuidor)
Castas: Baga
Porque é que é bom: “É um espumante de elevadíssima qualidade elaborado a partir da casta Baga, resulta num vinho charmoso e de maravilhosa elegância. A prensagem bem à maneira de Champagne, com cacho inteiro aproveitando somente a cuvée, confere-lhe a subtileza e frescura indispensável. Um dos grandes atributos deste espumante é a complexidade e riqueza de sabor, resultante dos 48 meses (quatro anos) decorrentes da clássica segunda fermentação e estágio em garrafa. Deste extenso período de tempo resulta, igualmente, uma bolha super fina, de delicada e consistente mousse.”

Nome do vinho: Giz Espumante Brut Nature Cuvée de Noirs 2017
Região: Bairrada
Produtor: Giz by Luís Gomes
Preço: 28 euros (no produtor)
Castas: predominância de Baga
Porque é que é bom: “Este espumante resulta de uvas provenientes de diferentes parcelas de vinhas centenárias, em solo de natureza calcária, onde predomina a casta Baga. Com o degorgement realizado em setembro de 2020, após 30 meses de repouso sobre borras em garrafa, este espumante oferece deliciosa combinação de apontamentos de fruta e a complexidade do tempo de estágio. A secura, do Brut Nature, e a vivacidade da acidez são deslumbrantes, brinda-nos com elegância e profundidade, já a impressão de mineralidade dos solos calcários (giz) de onde provém, engrandece o seu charme.”

Nome do vinho: Valados de Melgaço Alvarinho Extra Bruto Reserva 2017
Região: Vinhos Verdes (sub-região de Monção e Melgaço)
Produtor: Valados de Melgaço
Preço: 19 euros (no produtor)
Castas: Alvarinho
Porque é que é bom: “É um espumante Extra Bruto, mas os 0,6 gr/l de açúcar bem poderiam dar-lhe a menção “Bruto Natural”. Na boca tem a generosidade e envolvência da casta Alvarinho em contraste com a secura da ‘dosagem’ e esplêndida acidez, 8 gr/l que lhe dá vivacidade primordial. A mousse está em excelente fase de integração, pois os 22 meses de estágio em garrafa a isso favorece. É, pois, um espumante que combina a frescura das notas frutadas e florais do Alvarinho, com a estrutura e cremosidade da boca. Apesar da elegância tem vigor necessário para pratos mais ‘desafiantes’.”

André Ribeirinho

Fundador e responsável pelo Adegga

Nome do vinho: Encontro Special Cuvée Bruto 2015
Região: Bairrada
Produtor: Quinta do Encontro
Preço: 29,90 euros
Castas: Arinto
Porque é que é bom: “A Bairrada produz uma grande parte dos melhores espumantes de Portugal. A prova disso é a grande quantidade de espumantes de alta qualidade que são lançados todos os anos pelas casa da região. Este Special Cuvée é produzido a partir da casta Arinto e tem estágio de cinco anos em garrafa. É complexo, fino, fresco, muito elegante e acompanha qualquer refeição do principio ao fim. Estão disponíveis apenas 750 garrafas.”

Nome do vinho: Raríssimo by Osvaldo Amado Bairrada Extra Bruto 2006
Região: Bairrada
Produtor: Osvaldo Amado
Preço: 95 euros
Castas: Arinto
Porque é que é bom: “O envelhecimento traz aos grandes espumantes do mundo – incluindo os grandes Champagnes – características únicas. Com este espumante da Bairrada, o enólogo Osvaldo Amado mostra-nos o que é possível quando um espumante, feito à base da casta Arinto, passa 11 anos a evoluir em garrafa com as borras. O resultado é um vinho de puro prazer e que merece um momento especial para ser bebido. É raríssima a oportunidade de provar um espumante português com tantos anos. Existem apenas 1500 garrafas.”

Nome do vinho: Real Companhia Velha Bruto 2015 Espumante
Região: Douro
Produtor: Real Companhia Velha
Preço: 23 euros
Castas: Pinot Noir e Chardonnay
Porque é que é bom: “A região do Douro é conhecida pela produção secular de Vinho do Porto e pelos seus, mais recentes mas igualmente reputados, vinhos de mesa. Não deverá, no entanto, ser uma surpresa encontrar na região bons exemplos de espumantes e da capacidade da região de fazer alguns dos melhores vinhos de Portugal. O Real Companhia Velha Espumante bruto é produzido a partir de duas castas internacionais, a Pinot Noir e a Chardonnay. É um vinho fresco e aromático que apresenta a complexidade de alguns vinhos substancialmente mais caros.”

Rodolfo Tristão

Sommelier e docente na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril

Nome do vinho: Espumante Brut Nature rosé 2017
Região: Alentejo
Produtor: Herdade do Rocim
Preço: 19 euros
Castas: Touriga Nacional
Porque é que é bom: “Espumante de uma região que se encontra a dar os primeiros passos tendo em conta outras regiões. Esta zona da Vidigueira é bastante fresca, fazendo com que os vinhos elaborados mantenham-se frescos. Um produtor que tenta sempre inovar, criar e melhorar os vinhos portugueses, dando-lhes visibilidade. De cor apelativa, aromático, frutado e fresco; sabor seco, bolha fina e refrescante, frutado com final envolvente. Ideal para dias mais descontraídos.”

Nome do vinho: Ataíde Semedo Cuvée Reserva Bruto 2015
Região: Bairrada
Produtor: Ataíde Semedo
Preço: 17 euros
Castas: Cerceal, Bical, Chardonnay, Pinot Noir
Porque é que é bom: “Um produtor com carisma, identidade, mas que nem sempre se apresenta na linha da frente da visibilidade. Poderia ter continuado em meados dos anos 2000 a fazer o que tinha feito até então, mostrando o potencial da casta Baga, mas mudou. Arriscou, foi para a frente e conseguiu aparecer e mostrar o potencial da região. Um vinho que retrata o que muitos de nós teve de fazer para superar este ano. Força e carácter. Um espumante com cor suave, aromas intensos com notas de evolução a lembrar frutos secos, tosta. Sabor rico, seco, boa acidez que cria vibração aliado à “mousse”, bolha elegante que se traduz pela sua leveza. Notas de especiarias, tosta evidente, notas de evolução com final cativante e persistente.

Nome do vinho: Monte Cascas Reserva Távora Varosa DOC Espumante Bruto 2013
Região: Távora-Varosa
Produtor: Casca Wines
Preço: 15 euros
Castas: Touriga Nacional e Malvasia Fina
Porque é que é bom: “Vinho que vem para o mercado no seu ponto ótimo de consumo. Um espumante que, se pudesse, oferecia a todos que estiveram na linha da frente a combater a pandemia. Cor apelativa, aromas intensos a lembrar notas de tosta, frutos secos, brioche e notas amanteigadas provenientes do contacto prolongado com as leveduras. Sabor seco, acidez bem presente, bolha fina e elegante, suave a enriquecer. Tostado, nota suave de frutos secos tostados, amendoim suave, bom corpo e final intenso e revigorante.”