Dark Mode 196kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Vimioso e três concelhos alentejanos com a maior incidência de infeção. Veja no mapa como está o seu concelho

Mora, Vidigueira e Alfândega da Fé são os concelhos que mais subiram em novos casos por 100 mil habitantes. Vimioso, Castelo de Vide, Marvão e Mourão têm a maior incidência acumulada a 14 dias.

i

Há 116 municípios no nível de risco muito elevado e extremo

Corbis via Getty Images

Há 116 municípios no nível de risco muito elevado e extremo

Corbis via Getty Images

Mais de dois terços (208) dos concelhos portugueses encontram-se nas categorias de risco mais elevadas — 5, 6 e 7, segundo a classificação do Centro Europeu para a Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) —, que correspondem aos níveis de risco elevado (92), muito elevado (90) e extremo (26), definido pela Direção-Geral da Saúde e Governo na aplicação das medidas de controlo da pandemia. Com menos de 240 novos casos por 100 mil habitantes acumulados a 14 dias estão 100 municípios.

Vimioso (3.207), Castelo de Vide (2.398), Marvão (2.396), Mourão (2.286) e Penamacor (2.061) são os cinco concelhos com maior incidência acumulada a 14 dias, segundo os dados de 20 de dezembro, divulgados esta segunda-feira. Mourão e Penamacor estão também entre os 10 municípios que tiveram um maior aumento desde os últimos dados de incidência acumulada (de 17 de dezembro) — mais 490 e mais 379, respetivamente.

Segundo os registos oficiais divulgados na última semana, Castelo de Vide, Vimioso e Penamacor haviam sido os concelhos com as maiores subidas nos novos casos por 100 mil habitantes. Marvão e Mourão também se encontravam entre os 10 com as maiores subidas nos dados disponibilizados a 21 de dezembro e que se referiam a 17 de dezembro.

Entre os municípios que apresentam agora a maior subida no número de novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias (dados de 20 de dezembro) estão Mora — com uma subida de 1.571 novos casos por 100 mil habitantes —, Vidigueira, Alfândega da Fé, Figueiró dos Vinhos e Idanha-a-Nova, com mais de 500 novos casos por 100 mil habitantes. Mora subiu de risco moderado para risco extremo e a Vidigueira de risco moderado para risco muito alto.

Concelhos Incidência a 20.Dez Incidência a 17.Dez Variação entre as duas datas
Mora 1764 193 1571
Vidigueira 835 109 726
Alfândega da Fé 1363 659 704
Figueiró dos Vinhos 1185 575 610
Idanha-a-Nova 1144 584 560

Mangualde e Viana do Alentejo também sobem do nível de risco moderado para o nível de risco muito elevado. Há ainda 38 concelhos que sobem um nível de risco. Outros 38 municípios descem um nível de risco e Torre de Moncorvo desceu dois níveis — de muito elevado para moderado.

Aguiar da Beira, Chaves, Marvão, Pinhel e Figueira de Castelo Rodrigo são os cinco municípios que maior descida apresentam no número de novos casos por 100 mil habitantes quando comparados com os dados divulgados na semana passada. Marvão e Pinhel já estavam entre os 10 que tiveram a maior subida no número de novos casos na análise dos dados de 17 de dezembro.

Concelhos Incidência a 28.Dez Incidência a 21.Dez Variação entre as duas datas
Aguiar da Beira 537 1075 -538
Chaves 1479 1965 -486
Marvão 2396 2862 -466
Pinhel 1081 1539 -458
Figueira de Castelo Rodrigo 269 698 -429

Apesar das mudanças nas categorias de risco, as medidas restritivas que estão em vigor até dia de 7 janeiro são aplicáveis à lista divulgada pelo Governo quando foi decretado o novo estado de emergência. Pode ver em que nível de risco se inclui o seu concelho aqui.

27 municípios saem, 23 entram. Veja o nível de risco de cada concelho

Isto quer dizer, por exemplo, que Mangualde, Mora, Viana do Alentejo e Vidigueira, que se encontravam no nível de risco moderado quando foi decretado o último estado de emergência, se fosse agora estariam no grupo das maiores restrições à mobilidade (muito elevado ou extremo). Outros exemplos são: Alcochete, Castanheira de Pera, Celorico de Basto, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Elvas, Leiria, Macedo de Cavaleiros, Manteigas, Odemira, Penedono, Rio Maior, São Pedro do Sul, Santarém, Nisa, Vendas Novas e Vila Flor, que estavam no nível elevado e agora subiriam um nível, para muito elevado.

Da mesma forma, os concelhos que agora apresentam menos de 240 novos casos por 100 mil habitantes — e que, portanto, podiam ser classificados de risco moderado —, mas que na definição do estado de emergência estavam num nível de risco elevado ou superior, têm de continuar a cumprir as medidas mais restritivas. É o caso de: Alcácer do Sal, Alcanena, Belmonte, Campo Maior, Cartaxo, Golegã, Loulé, Moimenta da Beira, Portimão, Reguengos de Monsaraz, Sobral de Monte Agraço, Tondela, Torre de Moncorvo, Trancoso e Vila Velha de Ródão.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.