A RTP informou esta terça-feira que os espaços de informação das suas plataformas digitais vão deixar de ter publicidade vídeo a partir de janeiro e que as chamadas de valor acrescentado vão ser restringidas nos programas da televisão pública. “Todas as iniciativas associadas a concursos/passatempos com atribuição de prémios deixarão de fazer parte dos programas de entretenimento da RTP a partir de janeiro.”

“A partir de janeiro de 2021 a RTP deixará de utilizar os espaços de informação das plataformas digitais para exploração comercial”, informa o canal público, acrescentado que “a restrição da utilização de chamadas de valor acrescentado é outra das práticas que mudará a partir do próximo ano”.

Em comunicado, a RTP afirma que, “apesar dos espaços de conteúdos publicitários ser prática corrente, com o objetivo de garantir uma experiência de excelência, a RTP decidiu deixar de colocar publicidade em formato vídeo no início ou a interromper os conteúdos noticiosos, tanto no site da RTP Notícias como na App [aplicação] RTP Notícias”.

As novas regras de serviços da RTP aplicam-se também à utilização das chamadas de valor acrescentado, usadas pelos operadores de televisão para interatividade com o público.

A RTP vai restringir a utilização desta tipologia de chamadas” e “passará a utilizar IVR apenas em campanhas de responsabilidade social e humanitárias a que se associe, uma prática comum e reconhecida pelo público”.

No entretenimento, a RTP acrescenta que “mantém a utilização desta ferramenta unicamente em programas em que a participação do público seja fundamental”, dando como exemplo o Festival da Canção, as 7 Maravilhas de Portugal ou o The Voice Portugal.