A vacinação em estruturas residenciais para idosos e em unidades de cuidados continuados integrados vai começar no início da próxima semana, anunciou esta terça-feira a ministra da Saúde, durante o balanço do terceiro dia da administração em Portugal da vacina contra a Covid-19.

Esta vacinação coincide com a chegada de uma outra remessa de vacinas da Pfizer, que vai permitir estender o processo de imunização a cerca de 150 lares de idosos e outras estruturas nos conselhos portugueses de maior risco, o critério adotado nesta fase. De acordo com o critério da estratificação do risco, existem atualmente 25 concelhos com risco extremo por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, a maioria dos quais no norte do país.

Para a semana seguinte, que se inicia a 11 de janeiro, está prevista a chegada de mais vacinas e “o avanço relativamente a estas duas linhas que identificámos como elegíveis para esta operação do mês de janeiro, profissionais de saúde e estruturas residenciais para pessoas idosas, avançando para os concelhos que têm outros níveis de risco”, esclareceu Marta Temido.

Já foram vacinados 16.701 profissionais de saúde

Marta Temido revelou que, até às 18h desta terça-feira, foram administradas 16.701 vacinas contra a Covid-19. Este “número que ultrapassa as doses que chegaram no dia 26 [de dezembro], mas que também reflete aquilo que foram as doses que chegaram ontem e que começaram hoje a ser administradas”, disse a ministra.

Questionada sobre se algum dos profissionais de saúde imunizados deu conta de efeitos adversos, Marta Temido revelou que, “até agora, não foram detetadas quaisquer reações em relação à administração da vacina”. Quando a vacina começar a chegar à população em geral, a governante sugeriu que, no caso de uma reação, se contacte a linha SNS 24.