Não faltam as famílias que se vão sentir limitadas pela magra quantidade de convivas que podem juntar na entrada do novo ano, devido às regras do confinamento. A necessidade de conter a propagação do coronavírus limita o número de pessoas presentes e nada anima uma festa como um maior número de convidados. Mas a Hyundai, que recentemente adquiriu a Boston Dynamics, permite que se encha a sala de “indivíduos” capazes de darem um pezinho de dança.

Os americanos da Boston Dynamics produzem os robôs mais espectaculares do momento e também os mais sofisticados. A empresa que nasceu de um spin-off do MIT (Massachusetts Institute of Tecnology) já fabrica uma gama de modelos, respectivamente o BigDog, o Spot, o Atlas e o Handle, sendo que o Spot (o cão mais pequeno, capaz de executar um sem número de tarefas) é o único que está a ser comercializado. A Hyundai adquiriu a empresa este ano, por mil milhões de dólares.

8 fotos

Tradicionalmente, nesta quadra, o fabricante de robôs produz um vídeo que, além de celebrar o Natal ou o fim do ano, serve para mostrar a evolução das suas criações em termos de software e capacidade de movimentos. E 2020 não foi excepção.

No vídeo deste ano, é possível ver dois exemplares do Atlas, o humanóide mais dinâmico jamais construído, interagir com um Spot (um robô de um cão que finalmente tem cabeça e boca, capaz de agarrar objectos) e um Handler (com apenas duas rodas, permite pegar em objectos e movê-los). Mas não se trata de uma interacção qualquer, uma vez que os quatro robôs dançam ao som de “Do You Love Me”, um sucesso dos The Contours de 1962, canção celebrizada pelo filme Dirty Dancing, com Patrick Swayze e Jennifer Grey.

Mas mais do que cada um a dançar para o seu lado, os quatro robôs respeitam uma coreografia conjunta que impressiona qualquer um. É certo que ainda está uns pontos abaixo do nível demonstrado pelos humanos no Dirty Dancing, mas a questão que se coloca é saber até quando…