Por diversas vezes já aqui falámos do Microlino, um projecto dos suíços da Micro Mobility Solutions com uma inegável inspiração no BMW Isetta. A ideia remonta a 2015 e foi desde logo aplaudida, mas a boa receptividade não se converteu num projecto fora do papel. A prova é que só agora, passados cinco anos, é que os engenheiros da empresa estão a ultimar o primeiro protótipo funcional e a efectuar testes, para concluir o desenvolvimento a tempo de arrancar com a produção no próximo ano.

Um vídeo divulgado no Facebook mostra um pequeno passeio no interior e exterior das instalações da CECOMP, com a marca a aproveitar para enfatizar o facto de o novo chassi, com um eixo traseiro mais largo, e a suspensão independente resultarem num incremento da estabilidade do pequeno veículo e num rolamento mais confortável, dois requisitos essenciais para uma viatura de vocação urbana.

O Microlino 2.0, como agora é chamado, apesar de chegar ao mercado simplesmente como Microlino, foi mais uma das vítimas da pandemia, pois era suposto que os primeiros protótipos tivessem começado a ser construídos no Verão passado. Porém, a Covid-19 não foi a única maleita a atrasar o projecto. Antes disso, em 2018, no ano em que originalmente estava previsto arrancar com a produção em série nas instalações dos italianos da Tecno Meccanica Imola (TMI), do Grupo Tazzari, desencadeou-se uma disputa entre os novos proprietários da TMI e a Micro Mobility Solutions. A última recusava-se a pagar aos primeiros, alegando que estes não tinham concluído o desenvolvimento do modelo, enquanto os novos donos da TMI reclamavam a propriedade do projecto, justificando-o com o facto de terem efectuado para cima de centena e meia de alterações e não sido pagos pelo trabalho. Resultado: em 2019, os potenciais clientes poderiam encomendar um Microlino ou um Karolino. Mudava o nome e o preço, mas o objecto de reserva era basicamente o mesmo, diferendo que acabou por ir parar a tribunal. Foi finalmente resolvido fora dele, no início de 2020, através de um acordo extrajudicial.

Quer um Microlino? E que tal um Karolino?

Agora, os helvéticos entregaram a produção e o desenvolvimento do microcarro aos também italianos da CECOMP, empresa que imprimiu o seu cunho a modelos como o Lancia Delta Integrale e o Golf 1.

Com um preço base de 12.000€, o Microlino oferece lugar para dois e ainda permite transportar algumas compras. É descrito como “o iPad da mobilidade”, por resultar numa harmoniosa combinação, em estilo rétro, entre um automóvel e uma bicicleta. O eléctrico terá sua velocidade máxima limitada a 90 km/h, sendo animado por um motor de 11 kW (15 cv), o qual pode ser alimentado por um pack de baterias de 8 kWh ou 14,4 kWh, para uma autonomia de 125 ou 200 km, respectivamente, o que se explica pelo peso-pluma de 435 kg, excluindo os acumuladores.

Entre as alterações ao projecto inicial, o vídeo agora divulgado no Facebook e que pode comparar com o de baixo revela que os suíços também se preocuparam em melhorar a qualidade percebida no interior, daí que tenham complementando o painel de instrumentos com um segundo ecrã, o que antecipa um maior número de funções e uma maior facilidade de utilização.