A Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (BMEL), na Guarda, anunciou esta quinta-feira que em janeiro e fevereiro vai destacar a obra do “poeta irreverente” Al Berto, com um filme, um ‘workshop’ e sessões de poesia, teatro e fotografia.

A Câmara Municipal da Guarda refere em comunicado que “o grande destaque” da agenda da BMEL para os primeiros dois meses de 2021 “vai para Al Berto [pseudónimo de Alberto Raposo Pidwell Tavares, 1848-1997], um poeta irreverente que retomou a herança surrealista, fundindo o real com o imaginário”.

“Galardoado com o Prémio Pen Club de Poesia em 1987, Al Berto é um autor que se distingue de qualquer outra experiência contemporânea, trazendo à memória as experiências poéticas do próprio sofrimento na sua violenta exaltação”, sublinha a nota.

A BMEL vai exibir, no dia 21 de janeiro, pelas 18:00, um filme sobre o poeta, realizado por Vicente Alves do Ó, e a Associação Calafrio promoverá, nos dias 23 e 30 (entre as 14:00 e as 19:00) o ‘workshop’ “Assobiando ao medo”, que culminará com uma sessão de leitura expressiva, dando voz e corpo aos textos da obra de Al Berto.

No dia 06 de fevereiro, pelas 17:00, a Associação Calafrio também apresentará uma sessão de poesia, teatro e fotografia intitulada “Assobiando ao medo”.

Por fim, no dia 29 de janeiro, às 15:30, os alunos de Literatura da Escola Secundária Afonso de Albuquerque apresentam a sessão de poesia “Luminoso Afogado”.

Segundo a autarquia da Guarda, a apresentação de novos títulos também será “uma máxima da programação do novo ano” da BMEL.

Em janeiro e fevereiro serão apresentados os livros “Explosões Emocionais”, de Augusto Barbosa (09 de janeiro, 15:00), “Quase memórias de um lugar e de outras andanças”, de António de Castro Guerra (15 de janeiro, 18:00), “A menina Cabreira”, de Maria José Dinis — presidente da ASTA – Associação Sócio Terapêutica de Almeida (30 de janeiro, 15:00) e “As estradas são para ir”, de Márcia (20 de fevereiro, 16:00).

A BMEL prossegue com a atividade “Em família… Na biblioteca” que inclui o atelier “Bugs in a blanket (Pulgas no cobertor)”, por Ana Mourato (23 de janeiro) e “A grande viagem do pequeno MI”, por Ana Raquel e Beatriz Marques Dias (06 de fevereiro).

Decorrerá ainda, no âmbito do projeto “A Terra da Escrita”, para alunos do 3.º ciclo do ensino básico e secundário dos Agrupamentos de Escolas da Guarda, um encontro virtual com a autora Helga Moreira, nos dias 27 e 28 de janeiro (16:00).

Entre 13 de fevereiro e 23 de maio, a BMEL acolherá a exposição “Bruto”, com a colaboração de Agostinho Santos e de Valter Hugo Mãe.

No dia 27 de fevereiro, às 16:00, Anabela Matias, apresenta o conto “Mãos que escrevem história”, inspirado “na vasta e dispersa produção literária” do ensaísta Eduardo Lourenço, que morreu no dia 01 de dezembro, em Lisboa, aos 97 anos.

“Sendo que grande parte do espólio literário (livros, postais, pensamentos, cartas…) do patrono da BMEL, se encontra no acervo desta biblioteca, uma residência literária inserida no projeto Incentivart, tratará parte deste riquíssimo espólio literário, organizando-o por assuntos para o dar a conhecer ao público leitor, sob a forma de conto inédito”, é referido.