A Alemanha registou 32.552 novos casos de contágio pelo SARS-CoV-2 e 964 mortes relacionadas com a Covid-19 nas últimas 24 horas, anunciou o Instituto Robert Koch (RKI) de virologia.

O país mantém assim os níveis recorde de mais de 30.000 casos diários que se observaram já na semana anterior ao Natal. O recorde do número diário de mortes registou-se na quarta-feira, com mais de 1.100 óbitos.

Desde o início da pandemia a Alemanha registou 1.719.737 casos confirmados de coronavírus. O RKI estima que 1.328.200 pessoas tenham já superado a doença e que 33.071 pessoas tenham morrido por causa do coronavírus.

A incidência semanal é atualmente de 139,8 contágios por 100.000 habitantes. As autoridades sanitárias consideram que a incidência semanal atinge um nível crítico a partir dos 50 contágios por 100.000 habitantes.

O objetivo das restrições em vigor na Alemanha desde 16 de dezembro é reduzir a incidência semanal abaixo do nível crítico.

Alemanha. Funcionários de lar hospitalizados após receberem cinco doses da vacina por engano

O Governo federal já indicou que pretende prolongar as atuais restrições drásticas além da data inicialmente prevista, 10 de janeiro. A chanceler alemã, Angela Merkel, e os líderes regionais, responsáveis pela implementação das medidas, deverão reunir-se a 5 de janeiro para avaliar a situação.

Desde 16 de dezembro, foram encerradas lojas não essenciais, com exceção de produtos alimentares e outros bens de consumo do quotidiano, como farmácias, bancos, correios, estações de serviço e, em alguns estados, livrarias. A Alemanha já tinha encerrado, desde o início de novembro, estabelecimentos de diversão noturna, culturais e de restauração. As férias escolares foram adiadas por alguns dias e serão prolongadas até 10 de janeiro, mais do que o habitual, com a intenção de conter a pandemia.

Tal como a maioria dos estados da União Europeia, a Alemanha iniciou a campanha de vacinação no domingo, em hospitais geriátricos, e logo depois em 440 centros criados em todo o país. De acordo com estimativas governamentais, 1,3 milhões de doses de vacinas da BioNTech alemã e da sua parceira norte-americana, a Pfizer, deverão ser distribuídas no país até ao final deste ano.