Um surto de infeções com o novo coronavírus num dos três lares de idosos da Santa Casa da Misericórdia de Meda atingiu 65 utentes e 26 funcionários, disse esta quinta-feira à agência Lusa o provedor da instituição.

Segundo o provedor Anselmo Sousa, que também é o presidente da Câmara Municipal de Mêda, no distrito da Guarda, o surto de infeções com o novo coronavírus verifica-se no Lar Joaquim Nunes Saraiva — Fase 1, que possui um total de 70 utentes.

O responsável disse à Lusa que os utentes infetados estão sob vigilância e, “na sua maioria”, estão assintomáticos.

Quatro utentes da instituição “estão internados no hospital, mas também estão estáveis”, acrescentou.

Anselmo Sousa referiu que o surto no Lar Joaquim Nunes Saraiva — Fase 1, da Santa Casa da Misericórdia de Mêda foi detetado após, no sábado, alguns utentes terem apresentado sintomas de infeção por covid-19.

Após o alerta, o município realizou de imediato alguns testes rápidos para o SARS-CoV-2, vírus da covid-19, que “começaram a dar positivo” e, de imediato, foram alertados o Delegado de Saúde e a Segurança Social “e foram testados todos os utentes e funcionários”.

Para além do Lar Joaquim Nunes Saraiva — Fase 1 (com 70 utentes), a Santa Casa da Misericórdia de Mêda possui mais dois: Lar Joaquim Nunes Saraiva — Fase 2 (com 35 utentes) e Lar de Nossa Senhora de Fátima (46 utentes).

Os utentes e funcionários (de um universo de 90) com resultado positivo estão todos relacionados com o Lar Joaquim Nunes Saraiva — Fase 1.

Anselmo Sousa disse ainda à Lusa que a direção da instituição, a Câmara Municipal de Mêda, a Segurança Social e as entidades da área da Saúde estão a “tentar controlar a situação”.

“Não é fácil a nível de recursos humanos. Já solicitámos as Brigadas de Intervenção Rápida da Segurança Social”, adiantou.

O provedor da Santa Casa da Misericórdia de Mêda apela “à calma dos familiares dos utentes, porque as coisas estão controladas” e garante que a situação está a ser devidamente acompanhada.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.806.072 mortos resultantes de mais de 82,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 6.906 pessoas dos 413.678 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.