A utilização da linha de apoio para ajudar as empresas portuguesas a mitigarem os efeitos do Brexit não chegou a 10%, de acordo com o jornal Público. De um total de 50 milhões de euros disponíveis, apenas foram usados 4 milhões de euros para esse efeito. A linha já chegou ao fim, antes de se esgotar, com apenas sete candidaturas aprovadas, e o dinheiro acabou por ser usado para ajudar empresas a combaterem a pandemia.

O apoio foi criado no âmbito da Linha de Crédito Capitalizar 2018, que tinha 3200 milhões de euros e que está suspensa para novas candidaturas “em virtude de ter sido ultrapassada a dotação global”, de acordo com fonte oficial do Ministério da Economia, citado pelo Público.

Quando apresentou este apoio, o Governo indicou que eram abrangidas duas mil microempresas e PME que tivessem trocas comerciais com o Reino Unido com valor superior a 15% do seu volume de negócios e desenvolvessem uma “estratégia para minorar o efeito negativo do Brexit”. A adesão acabou por ficar muito aquém das expectativas.

Ainda não se sabe se o Governo vai criar um apoio semelhante, se as empresas pedirem, a partir desta sexta-feira, altura em que UE e Reino Unido já terão saído do período de transição.

Governo lança linha de 50 milhões para apoiar empresas caso não haja acordo no Brexit